quinta-feira, 3 de setembro de 2020

[Viajando na História] O mês de Agosto na História

Alguns meses atrás comecei a postar sobre algumas datas históricas e monumentos lá no Instagram e  mensalmente estou fazendo um resumo aqui no blog, que continuo com este post de hoje: acontecimentos e pontos turísticos relacionados ao mês de Agosto ao longo dos anos! História sempre foi a minha matéria preferida na escola e não é à toa que destinos históricos sempre estão entre os meus preferidos. Para qualquer lugar que eu vá, eu pesquiso sobre a História do local/país antes e durante a viagem. Acredito que não faz nenhum sentido você se deslocar até o outro lado do mundo para tirar uma selfie na frente de um monumento sem ter a mínima ideia do porquê aquele se tornou um monumento importante/famoso, por exemplo.



[Viajando na História]  O mês de Agosto na História - Fundação de João Pessoa
 Igreja/Centro Cultural São Francisco em João Pessoa


Fora que dá um outro sabor para as viagens quando você entende de onde vieram os nomes das ruas/praças/bairros/estações de metrô etc (por exemplo Avenida 9 de Julho em São Paulo ou estação de metrô Oranienburger Tor em Berlim). É muito mais gostoso ir embora de um lugar entendendo o que viu ao invés de simplesmente ter passado para cumprir tabela ou riscar da listinha de "obrigações".


[Viajando na História]  O mês de Agosto na História - Levante de Varsóvia
Monumento ao Levante de Varsóvia (Polônia)



Pensando em explorar mais esse aspecto das viagens aqui no blog, inventei a #ViajandonaHistoria lá no Instagram no blog e desde abril/2020 estou postando sobre diversos momentos históricos e locais que se tornaram pontos turísticos. Mensalmente vou trazer essas informações para o blog, mas é claro que estes posts não tem a intenção de ser algo definitivo sobre o tema - são milhares de acontecimentos importantes todos os dias pelo mundo e vou focar naqueles que acho mais relevantes no geral e somente nos destinos que já são tratados aqui no blog. Em agosto, falamos de  Paris, João Pessoa, Rio de Janeiro, Salvador, Varsóvia e Berlim!


Aqui no blog já são dezenas de posts aprofundando sobre diversos aspectos históricos dos destinos por onde passei!






Levante de Varsóvia


No dia 01 de agosto foi comemorado 76 anos do levante de Varsóvia! O episódio da 2a guerra quando cerca de 50 mil moradores da capital da Polônia se levantaram contra o exército nazista que ocupava a cidade desde 1939 é considerado o maior episódio de resistência durante a 2a Guerra Mundial. O exército soviético estava chegando, mas eles não queriam ser dominados nem por um e nem pelo outro. Hoje sabemos q não deu muito certo (os alemães derrotaram os insurgentes e ao final do conflito, o centro estava 85% destruído. Ao final da guerra, a cidade ficou nas mãos da União Soviética), mas todo mundo lá tem orgulho desse episódio. Todo dia 1 de agosto fazem 1 minuto de silêncio na capital polonesa às 17h por conta disso. Podemos ver um pouquinho disso tudo no filme "O Zoológico de Varsóvia", que adorei (e tem livro também)!

Fiz até um walking tour temático sobre a Segunda Guerra em Varsóvia e não vejo a hora de escrever tudo sobre o assunto! Além de diversos monumentos homenageando diversos personagens e episódios da guerra em geral e específicos sobre o levante, existe também um museu recomendadíssimo - o Museu do Levante de Varsóvia (Muzeum Powstania Warszawskiego), que acabei não visitando porque ao final de 3 meses de viagem, não estava no clima de visitar museu (um dos muitos motivos para voltar para a Polônia).


O símbolo Kotwica (âncora, com P + W estilizados) representa o Estado Secreto Polaco ou Polish Underground State - o governo polaco foi exilado quando os nazistas ocuparam a Polônia. Houveram vários movimentos menores para sabotar os nazistas, antes mesmo do Levante e hoje vemos o emblema em vários pontos da cidade representando a resistência polonesa.




[Viajando na História]  O mês de Agosto na História - Levante de Varsóvia
Diversos monumentos em Varsóvia relacionados ao levante ou à guerra em si

Em geral os monumentos relacionados à guerra contam com flores vermelhas e brancas, as cores da bandeira da Polônia - detalhes que você só descobre quando faz tours guiados ;) (ou segue os melhores blogs rs)


Na 2a foto abaixo, o  Pomnika Małego Powstańca - monumento ao pequeno insurgente em homenagens às crianças e adolescentes que lutaram no Levante de Varsóvia 😢. Na 3a foto, o Monumento ao Levante de Varsóvia (Pomnik Powstania Warszawskiego). Na 7a foto, a tumba do soldado desconhecido.






Leia aqui todos os posts no blogs sobre Varsóvia e sobre a Polônia!


Inauguração do Museu Histórico Nacional (Rio de Janeiro)



O Museu Histórico Nacional é um museu dedicado à História do Brasil e fica no Rio de Janeiro em um antigo forte/arsenal. Seu acervo tem cerca de 350 mil peças, contendo quadros, mobiliário, manuscritos, armaria, iconografia, esculturas e outros itens - ou seja, tem um pouquinho de tudo! Mas apesar de muito interessante, infelizmente quase nunca está nos roteiros dos turistas pelo Rio...  

(Não confundam com o museu que pegou fogo - Museu Nacional. Esse daqui fica entre o aeroporto Santos Dumont e a Praça XV de Novembro, próximo ao centro do Rio e à Cinelândia)

O complexo que é sede do Museu Histórico Nacional começou como a Fortaleza de Santiago em 1603 e posteriormente foram adicionadas outras construções na Ponta do Calabouço. Foi área militar até 1908 e na década de 20, a área foi aterrada para a exposição do centenário da Independência e o arsenal reformado em estilo neocolonial. Em 2 de agosto 1922, o museu foi aberto com poucas exposições, mas em 1940 já eram mais de 20 galerias. Abrigou o primeiro curso de Museologia do país (entre 1932 e 1977) e em 2001, o conjunto arquitetônico e as coleções do museu foram tombados pelo Iphan. 

O Museu Histórico Nacional tornou-se o mais importante museu de História do país com uma área de 20 mil metros quadrados para produção e difusão do conhecimento. Além das exposições permanentes e uma área é dedicada para exposições temporária. Tem artefatos do Brasil da Idade da Pedra, da época dos engenhos de açúcar, quadros mostrando como as cidades eram poucos séculos atrás, peças do Império e relacionadas à família real e até eletrônicos e brinquedos do século XX (achei até alguns q eu tinha nos anos 80!)

Outra parte interessante para visitar é a sessão dos carros antigos com cadeirinhas, carruagens, berlindas e etc.  Já escrevi um post detalhado sobre esse museu e espero q mais gente inclua esse e outros museus nos planos de viagem quando for seguro viajar.

Fundação de João Pessoa (PB)


Com cerca de 800 mil habitantes, a capital da Paraíba é a oitava maior cidade do Nordeste. João Pessoa tem atrativos históricos e praias bonitas, mas geralmente a Paraíba é menos desejada entre os turistas que vão para o Nordeste e acabam preferindo os seus vizinhos. Dentro dos limites do município está a "Ponta dos Seixas", ponto mais oriental das Américas (da parte continental) e portanto o local onde o sol nasce primeiro por aqui. Seu centro histórico foi tombado pelo IPHAN (muito maior e mais preservado do que eu imaginava) e já existia desde antes de ter feito parte da colônia da Holanda no Brasil (quando era conhecida como Frederikstad). O nome da capital é uma homenagem ao político pernambucano João Pessoa Cavalcanti de Albuquerque, que foi assassinado quando estava concorrendo ao cargo de vice presidente do Brasil na chapa de Getúlio Vargas em 1930. João Pessoa recebeu o título de cidade criativa pela UNESCO em 2017 por conta de seu artesanato e foi fundada em 5 de agosto de 1585.

Quem acompanha o blog desde o começo pode lembrar que postei a minha bucket list de viagem em 2013 e o pôr do sol na Praia do Jacaré em João Pessoa estava nessa lista de lugares para conhecer no Brasil porque adoro a música "Bolero" de Ravel que é tocada la todos os dias! Quando descobri que muita gente de Recife faz esse bate-volta Recife-João Pessoa quase como o pessoal faz Campinas-São Paulo, tive certeza que era a minha oportunidade de conhecer Jampa (apelido da cidade) também durante a minha visita a Recife ano passado! Já contei tudo aqui sobre esse passeio de um dia

Mas como podem ver na última foto, peguei um dia mega nublado e quase q não teve pôr do sol nenhum... 




Leia aqui tudo sobre João Pessoa no blog!



Inauguração do Museu do Louvre (Paris)



O Museu do Louvre é considerado o maior museu de arte do mundo e um monumento histórico de Paris. A coleção tem aproximadamente 38 mil objetos em exposição, da pré-história ao século XXI e é exibida em uma área de mais de 72000 metros quadrados. O acervo total possui mias de 500 mil peças!!! Em 2019, o Louvre foi o museu de arte mais visitado do mundo, recebendo 9,6 milhões de visitantes (quase o dobro de turistas do q o Brasil inteiro recebeu!!)! O museu está localizado no Palácio do Louvre, às margens do Rio Sena, originalmente construído como uma fortaleza no final do século XII ao XIII. Devido à expansão urbana da cidade, a fortaleza foi convertida na principal residência dos reis franceses. O prédio foi ampliado muitas vezes, até formar o atual Palácio do Louvre. Em 1682, com a mudança da corte para o Palácio de Versalhes, o Louvre permaneceu como um local para exibir a coleção real. Durante a Revolução Francesa, foi estabelecido que o Louvre deveria ser usado como um museu para exibir as obras-primas da nação.



[Viajando na História]  O mês de Agosto na História - Inauguração do Museu do Louvre (Paris)
Museu do Louvre em 2003 - sim gente, foto da foto rs

O museu foi inaugurado em 10 de agosto de 1793 com uma exposição de 537 pinturas, sendo a maioria das obras da realeza ou de propriedades confiscadas da igreja. A coleção foi aumentada sob o governo de Napoleão e o museu foi renomeado pelo "Museu Napoleão" durante algum tempo. A coleção foi aumentada durante os reinados seguintes e durante o Segundo Império Francês, o museu ganhou 20 mil peças. O museu conta com antiguidades egípcias, antiguidades do Oriente Médio, antiguidades gregas, etruscas e romanas, arte islâmica, escultura, artes decorativas, pinturas, impressões e desenhos.


A Grande Pirâmide serve de entrada principal do Museu do Louvre e foi concluída em 1989, com projeto do arquiteto I. M. Pei. É um ponto de referência para os turistas e tb para os fãs do escritor Dan Brown (fãs de "O Código da Vinci" que o digam rs).


Além do subsolo mostrando as fundações da antiga fortaleza, eu lembro bastante da coleção egípcia, de algumas esculturas como a "Vitória de Samotrácia" e a "Vênus de Milo" e alguns quadros como a "Monalisa" e "A Liberdade guiando o povo" da minha visita ao museu em 2003.


Não entrei muito cedo no museu, mas porque tinha escolhido visitar no dia que ele fica aberto até mais tarde e aí fiquei até ele fechar mesmo, já tarde da noite - comi até um lanche em uma das lanchonetes! Mesmo assim, é humanamente impossível conhecer todo o acervo em um única visita, mesmo passando o dia inteiro lá (seriam necessários literalmente MESES para admirar todas as obras). Se antigamente já era super recomendado garantir o ingresso com antecedência para evitar as filas quilométricas, depois da pandemia vai ser mais importante ainda devido às restrições de público que todas as atrações turísticas estão sofrendo. Apesar de ser um museu bem famoso - talvez o mais famoso do mundo - não entrou na minha lista de 10 museus preferidos do mundo (e outros 2 museus de Paris entraram!).


Quadro "A Liberdade guiando o povo" - Eugène Delacroix/ Escultura "Vitória de Samotrácia" - Foto: Dalbera CC BY SA 2.0/ Pirâmide Foto: Benh - CC BY 2.5/ Esfinge - Edwin 11 - CC BY 2.0







Leia aqui tudo sobre Paris no blog!

Início da construção do Muro de Berlim


Ao final da Segunda Guerra Mundial, Berlim e a Alemanha ficaram divididas em 2 cidades e 2 países: Berlim e Alemanha Oriental (sob domínio da União Soviética) e Berlim e Alemanha Ocidental (ocupada pelos EUA, França e Inglaterra). Bonn servia como capital da Alemanha Ocidental e Berlim Oriental, capital da Alemanha Oriental. Nos anos 50 e início dos anos 60, a fuga de cidadãos da Alemanha Oriental para a Ocidental aumentou significadamente - muitas pessoas fugiam para o outro lado, afinal até poucos anos atrás Berlim era uma só e a divisão pós-guerra foi arbitrária (era muito comum morar de um lado e trabalhar do outro por exemplo).

O chefe de estado da DDR (Alemanha Oriental), Walter Ulbricht respondeu uma jornalista em 1961 com a frase q se tornou famosa - "Ninguém tem a intenção de construir um muro". Mas na madrugada de 12 para 13 d agosto do mesmo ano, uma cerca de arame farpado começou a cercar a Berlim ocidental, formando uma ilha totalmente isolada de Berlim e da Alemanha oriental. Da noite para o dia, famílias, casais apaixonados e amigos foram separados e muitos deles só voltaram a se ver quase 30 anos depois, em 1989 com a queda do Muro de Berlim. Nos meses seguintes, os arames farpados foram trocados por um muro de concreto e todo um aparato de segurança foi construído para impedir a passagem de um lado para o outro - torres de vigilância, aumento da altura do muro, construção d um segundo muro paralelo, faixa da morte entre os muros com armadilhas, etc. Mesmo assim, muita gente arriscava a vida com planos mirabolantes de túneis, balões, compartimentos secretos em automóveis etc para tentar fugir da Berlim oriental para a ocidental. 


[Viajando na História]  O mês de Agosto na História - Início da construção do Muro de Berlim
Trecho da East Side Gallery (Berlim)

Já são meia dúzia d posts sobre o assunto aqui blog, uma vez q o muro caiu em 1989, mas ainda vemos muitos resquícios dele pela cidade em 2020. Para os turistas ou interessados em História são diversas atrações relacionadas com o muro em Berlim hoje como o DDR Museum (vida na Alemanha oriental), Alltag in der DDR (cotidiano e trabalho na Alemanha oriental) na Kulturbrauerei, exposição sobre as estações fantasmas na Nordbahnhof(sistema d transporte público teve que ser todo remodelado na separação da cidade e várias estações na "fronteira" foram desativadas), exposição no Tränenpalast (local onde era permitido a passagem de um lado para o outro, mas somente pouquíssimas pessoas tinham a permissão de passar. O local era palco frequente de choros de despedidas e por isso recebeu esse nome - tränen = lágrimas), Mauerpark (parque do muro), Checkpoint CharlieEast Side Gallery (maior trecho do muro ainda de pé e com painéis de diversos artistas), Memorial da Bernauer Strasse (único local onde podemos ver por cima como era a faixa da morte), Mauermuseum (maior exposição sobre as fugas mirabolantes), The Wall Museum (museu mais novo sobre a construção e queda do muro), Asisi Panorama The Wall (um painel gigantesco onde nos sentimos praticamente na antiga Berlim ocidental olhando por cima do muro para o lado oriental da cidade), Topografia do Terror (grande trecho do muro sem restauração ou pinturas), DDR Wachturm (torre de vigilância que podemos subir), Black Box Kalter Krieg (exposição sobre a Guerra Fria), Trabi Museum (museu do carro símbolo da Alemanha oriental), Trabi Safari (tour pela cidade dirigindo um Trabi, apelido para o Trabant). Não perca também os sinais da Berlim dividida que vemos até hoje pelas ruas, como o homenzinho do sinal - o Ampelmann e a faixa no chão acompanhando o antigo traçado do muro!







Leia aqui tudo sobre Berlim no blog e aqui todos os posts sobre a Alemanha!

Transferência da capital brasileira de Salvador para o Rio de Janeiro


O Brasil foi "descoberto" em 1500 e Salvador, que viria a ser a primeira capital do país, foi fundada em 1549. Inicialmente, a economia brasileira girava em torno da exploração da árvore pau-brasil e da cana de açúcar, produzida nos engenhos nordestinos. Salvador chegou a ser a maior cidade abaixo da linha do Equador. Quando o ouro foi descoberto no interior de Minas Gerais, Salvador era um porto muito distante para gerenciar a escoação da produção. Sendo assim, em 31 de agosto de 1763, a Corte portuguesa determinou a transferência da capital do Brasil de Salvador para o Rio de Janeiro. O Rio de Janeiro teve então um boom de crescimento, e mais ainda com a vinda da família real portuguesa para o Brasil em 1808, e foi a única cidade no mundo a sediar um império europeu fora da Europa.  Foi a capital federal até 1960, quando o posto passou para Brasília.

Todo mundo que vai para Salvador (ou qualquer lugar do Nordeste) sempre fica encantado pelas praias e belezas naturais, mas o meu lugar preferido na primeira capital brasileira sempre foi o Pelourinho - acho que por causa daquele monte de casinhas históricas uma do lado da outra! Visitei a cidade algumas vezes entre os meus 15 e 21 anos, mas não volto faz tempo infelizmente. 

Fui 4 vezes ao Rio de Janeiro entre os 15 e os 24 anos, sempre visitando só os pontos turísticos básicos como praia de Copacabana, Pão de Açúcar ou Cristo Redentor e foi somente quando voltei mais recentemente sozinha ou com amigas (em 2017 e 2018), que conheci a parte histórica da cidade (com tours guiados) e aí sim, comecei a gostar de verdade da Cidade Maravilhosa! Um passeio de helicóptero (como eu fiz em 2018), as praias ou as diversas trilhas cariocas vão te proporcionar vistas magníficas, mas não deixe o centro histórico de fora do seu roteiro no Rio!


[Viajando na História]  O mês de Agosto na História - Transferência da capital brasileira de Salvador para o Rio de Janeiro
Theatro Nacional no centro antigo do Rio de Janeiro - uma das várias atrações históricas imperdíveis na região!

Fotos 1 e 2 - Salvador: Pixabay com licença de reprodução. Fotos 3 a 7 - Rio: fotos minhas














Leia aqui tudo no blog sobre Salvador e aqui sobre o Rio de Janeiro!


Fontes: revistas Aventuras na História, sites oficiais das atrações, posts do blog, wikipedia, artigo 1artigo 2artigo 3artigo 4 e artigo 5.



Leia aqui todos os posts da série "Viajando na História"!



[Viajando na História] O mês de Junho na História



Você sabia que pode reservar hotelalugar carro, garantir seguro viagem com descontopesquisar passagens aéreas, comprar chip de internet para usar no exterior, conseguir ingressos para atrações no Brasil e no mundo todo, além de guias de diversas cidades e países pelos links aqui do blog? Você não gasta nenhum centavo a mais e o blog ganha uma pequena comissão! Obrigada!

10 comentários:

  1. Quanta coisa legal que aconteceu na história do Brasil durante o mês de agosto, hein?!

    Concordo que apesar das praias serem o cartão postal do Rio, o centro histórico também é imperdível!

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, minha opinião sobre a cidade mudou bem justamente qnd comecei a andar pelo centro do Rio (apesar do medo de algo acontecer rs)

      Excluir
  2. Que post sensacional!!! Agosto é realmente um mês bem emblemático na História. Muito inteligente o seu texto em ligar os fatos históricos ocorridos em agosto aos seus respectivos pontos turísticos. Parabéns!!

    ResponderExcluir
  3. Gente, amei esse post! Quanta história no mês de agosto! Adorei fazer essa viagem lendo seu texto

    ResponderExcluir
  4. Nunca parei para pensar na história separada por meses. Muito interessante o seu artigo sobre o mês de Agosto na História.

    ResponderExcluir
  5. Ótima ideia, Fer! E muito bem executada.. adoro saber a história do destino. Ajuda a planejar a viagem.. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Tb acho q ajuda demais, várias coisas fazem sentido e ficam muito mais interessantes!

      Excluir

Todos os comentários no "Tá indo para onde?" passam por moderação e por isso não aparecem de imediato. Ele só vai aparecer quando for respondido. Em geral, os comentários são respondidos quinzenalmente.