quinta-feira, 27 de janeiro de 2022

Lugares para visitar em um dia saindo de Veneza!

Veneza em si é um super destino turístico encantador! Muita gente faz somente um bate-volta para lá dormindo em outra cidade italiana, mas já contei em diversos posts que o melhor MESMO é dormir na própria Veneza e na parte insular para aproveitar o local com o encanto da noite (e o bônus deter chance de pegar as ruazinhas vazias depois que a horda diária de turista bate-volta vai embora! É outra Veneza, e uma Veneza bem melhor por sinal!).


Tours saindo de Veneza que valem a pena - Burano
Burano

Tours saindo de Veneza que valem a pena - Murano
Murano



Dormindo em Veneza, dá tempo de visitar também 3 ilhotas incríveis ali pertinho e até fazer outros bate-voltas para cidades, lagos, degustação de vinho e até para ver neve, como as opções abaixo!




terça-feira, 25 de janeiro de 2022

Ilhas da Laguna de Veneza: Murano

Murano é um conjunto de ilhotas ligadas por pontes, assim como sua vizinha Veneza. Desde 1291 é o centro da indústria de vidraria, que foi transferida para cá para evitar incêndios em Veneza. Nos séculos XV e XVI, Murano era o principal produtor de vidros da Europa. É um dos principais passeios saindo de Veneza, junto com Burano e Torcello, mas pessoas com roteiro mais corrido geralmente visitam só Murano (ou nem isso) e por isso é a mais cheia das 3.


Ilhas da Laguna de Veneza: Murano

Ilhas da Laguna de Veneza: Murano


Somente passear pelos canais de Murano (menos cheios do que os de Veneza) já é um programa maravilho e faz o passeio valer muito a pena! A escultura acima é a "Natale di Luce in una Cometa di Vetro". Natale di Vetro ("Natal de vidro") é um evento anual em Murano (não sei se andou acontecendo com a pandemia) na época do Natal. O artista Simone Cenedese fez esta escultura para o evento em 2008, mas o sucesso foi muito grande e tornaram a escultura algo permanente na praça Campo Santo Stefano.



Claro que tem um mapinha completo no final no post, com tudo marcadinho, inclusive onde pegar os vaporettos/barcos para esse passeio!


domingo, 23 de janeiro de 2022

Dicas do "Tá indo pra onde" sobre Campinas na Magazine Trivago

No finalzinho de 2019, o pessoal da Trivago Magazine entrou em contato comigo para eu escrever alguns artigos sobre Campinas e região para eles. A ideia inicial era eu entregar os textos até março/2020 para publicarem em abril, só que com pandemia, as publicações foram adiadas. Eles foram publicando os 3 artigos ao longo de 2021 e trago os links no post de hoje para quem quiser ler mais posts meus, só que em outro site! Várias dessas dicas ainda nem estão publicadas aqui no blog.


Dicas do "Tá indo pra onde" sobre Campinas na Magazine Trivago
Jockey Club Campineiro no centro de Campinas, um dos prédios mais bonitos da cidade




Veja aqui todas as dicas sobre Campinas no blog! Aqui um resumo do que fazer em Campinas e aqui um post sobre as sete maravilhas de Campinas!


sexta-feira, 21 de janeiro de 2022

A Praga polonesa - a Varsóvia alternativa do outro lado do rio Vístula

Do outro lado do rio Vístula em Varsóvia, fica um bairro/distrito chamado Praga, que já foi até uma cidade independente. Até pouco tempo atrás, Praga era considerado o bairro mais perigoso da capital polonesa, mas muita coisa mudou por ali (principalmente com a chegada do metrô poucos anos atrás) e a região agora conta com museus, mercado, muita arte de rua, centro cultural, bares, galerias, lojinhas hipters e está cada dia mais interessante (tudo misturado com santuários escondidos e prédios decadentes precisando de reformas, mas ainda charmosos). Eu fiz um walking tour pela área, chamado "Varsóvia alternativa", gostei muito e recomendo demais (tem em inglês e em espanhol)!


A Praga polonesa - a Varsóvia alternativa do outro lado do rio Vístula
Falo sobre este mural abaixo!


O primeiro registro de Praga é de 1432 e até 1791, era um cidade à parte de Varsóvia. O nome do bairro/distrito não tem nada a ver com a capital da República Tcheca, mas é derivado da palavra polonesa prażyć, que seria o verbo "queimar" ou "assar". A área era coberta por uma floresta que foi queimada para dar lugar ao vilarejo. Nos primeiros séculos de existência, era uma cidade simples com muitas construções de madeira e sofria com diversos incêndios, ataques inimigos e enchentes então quase nada sobrou desta época. Não havia nenhuma ponte ligando Praga com Varsóvia por muito tempo - a ligação com o outro lado do rio era feita por ferries particulares ou no inverno, quando o rio congelava, andando no gelo. No mandato de Stanislau II Augusto da Polônia, Praga foi incorporada a Varsóvia em 1791. Em 1794, aconteceu ali uma importante batalha contra os russos chamada de Batalha de Praga ou Batalha de Varsóvia e um massacre de 20 mil poloneses.

Durante a Segunda Guerra Mundial, permaneceu relativamente sem ataques, ocupada pelos russos, e hoje em dia é na real o bairro com as construções mais antigas de Varsóvia, já que o outro lado do rio, o lado "principal" da cidade, foi quase que completamente destruído.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2022

Englischer Garten (Munique)

O principal parque no centro de Munique (com o nome de "Jardim Inglês) foi criado em 1789 por Benjamin Thompson para o então príncipe-eleitor do Palatinado, Carlos Teodoro, herdeiro dos Wittelsbach, então governantes da Baviera. Com uma área de 3.7km quadrado, é um dos maiores parques urbanos do mundo. O nome se refere ao estilo inglês de jardins da época - mais informal, que foi adotado ali. Foi construído no local de uma área utilizada para caça e foi aberto em 1792 para cerca de 40 mil habitantes de Munique.


Englischer Garten (Munique)
Monóptero - Foto: Luis Gervasi


Englischer Garten (Munique)
Torre Chinesa


Algumas áreas foram acrescentadas ao parque posteriormente e durante a Segunda Guerra Mundial, bombardeios destruíram o monóptero e a Torre Chinesa. 93 mil metros cúbicos de escombros foram depositados em uma parte do parque, que só foi limpo nos anos 1950. O parque abrigou a competição de arco e flecha nas Olimpíadas de 1972 e é uma atração bastante visitada pelos turistas em Munique. São mais de 100 pontes, cerca de 75km de caminhos e entre 50 e 60 espécies de pássaros no parque/jardim.