segunda-feira, 21 de setembro de 2020

Viajando de ônibus pela Polônia

Já fazia um tempo que eu sonhava em conhecer a Polônia, principalmente Cracóvia e Varsóvia, mas sabia que valeria a pena ir além das cidades mais famosas. Quando estava decidindo sobre minha longa viagem de 2019, decidi então incluir um mês no país do Papa João Paulo II! Cheguei por Cracóvia de ônibus vindo da República Tcheca (da cidadezinha de Olomouc), segui para Wroclaw (Breslávia/Breslau), depois Poznan, Gdansk, Bydgoszcz, Torun e então Varsóvia, quase completando um círculo dentro do país. Lá em janeiro, já tinha comprado minha passagem em promoção na ida São Paulo/Frankfurt e volta Varsóvia/São Paulo, simplesmente porque tinha que decidir a passagem antes de perder o preço bom.


Viajando de ônibus pela Polônia
Vale a pena demais explorar a Polônia além das cidades mais famosas! Essa é a praça principal de Wroclaw!


Falo mais abaixo sobre os bate-voltas que fiz e as cidades que gostaria de conhecer, mas eliminei do roteiro ao longo do planejamento. O roteiro interno foi definido pela lógica geográfica e comecei então a pesquisar como faria cada trajeto. Os preços e tempo de viagem eram praticamente iguais indo de ônibus ou de trem, mas acabei optando pelo ônibus em todos eles e conto abaixo o(s) motivo(s).


Viajando de ônibus pela Polônia





Roteiro pela Polônia



No mapa abaixo. marquei os principais pontos do meu roteiro pela Polônia. As cidades que visitei e me hospedei com uma estrela roxa, as que eu fiz somente um bate-volta estão em verde e as que eu tive que eliminar do roteiro quando ainda estava pesquisando aqui no Brasil, em vermelho. Marquei os 2 principais aeroportos do país de preto, nas 2 principais cidades -Varsóvia e Cracóvia. Hoje em dia, minhas lista de cidades para conhecer na Polônia já aumentou consideravelmente.




Eu estava vindo de Olomouc (na República Tcheca) e cheguei de ônibus em Cracóvia. Fiz todos os trajetos entre as cidades de ônibus da Flixbus, exceto os bate-voltas. Os passeios para a mina de sal em Wieliczka e o campo de concentração de Auschwitz-Birkenau acabei contratando tours em Cracóvia e conheci Sopot e o castelo de Malbork de trem, saindo de Gdansk. Ao final da viagem, peguei avião em Varsóvia para voltar ao Brasil, com conexão em Paris.




Viajando de ônibus pela Polônia
Estação de trem de Malbork, cidade onde fiz um bate-volta para visitar o maior castelo polonês


Tinha pensado em visitar também Stettin (ou Szczecin), Zakopane, Zalipie, Lódz e a cidade do papa Wadowice. Eliminei Stettin do roteiro porque ficava muito fora de mão e complicaria os trajetos entre Poznan e Gdansk. Fica muito fácil visitar Stettin até mesmo em um dia em um bate-volta de Berlim e como passaria por lá dois meses antes, essa possibilidade de bate-volta ficou pendente. Acabei não fazendo, mas ainda volto para Berlim ;). Zakopane é uma das cidade mais turísticas da Polônia, uma espécie de Campos do Jordão ou Suíça rs. Mas pelo que li, a graça está justamente em visitá-la no inverno e como viajaria no verão, decidi não ir. Zalipie é uma vilazinha minúscula e linda demais que descobri por fotos aleatórias na internet, mais ou menos perto de Cracóvia. O problema é que é impossível chegar ali sem carro. Até procurei um tour privado, mas ficaria caríssimo viajando sozinha. Lódz já foi uma cidade industrial e casa da indústria polonesa de cinema, mas aparentemente não tem as praças lindas e centros preservados como outras cidades que escolhi. Foi a que mais sofri para tirar do roteiro, mas a vibe é diferente das outras cidades e do que eu estava querendo. Teria incluído ente Torun e Varsóvia e definitivamente ainda volto para a Polônia e passo uns dias em Lódz. Outra cidade bem popular entre os turistas na Polônia é Wadowice, por conta do falecido Papa João Paulo II que nasceu ali. A cidade em si não me pareceu interessante pelas minhas pesquisas e como não sou religiosa, foi bem tranquilo não incluir no meu roteiro.

A quantidade de dias que eu fiquei em cada uma não tem como considerar muito porque também estava trabalhando e produzindo conteúdo para o blog. Estava muito cansada da viagem longa e alguns períodos eu fiquei somente descansando. Se tivesse que alterar o roteiro, manteria de qualquer jeito Cracóvia, Varsóvia, Wroclaw e Gdansk. Torun também. Bydgoszcz e Poznan que acabariam ficando de fora, mas vale a pena conhecer sim. Hoje só me "arrependi" de não ter insistido com Lódz, mas o tempo estava apertado. Já faltou tempo para Wroclaw, Cracóvia, Varsóvia e Gdansk! Se tivesse pesquisado os feriados poloneses, teria mudado a ordem de algumas cidades porque acabei passando um feriado prolongado no principal destino de verão polonês totalmente sem querer - a região de Gdansk!



Como chegar até a Polônia


As possibilidades de como chegar até a Polônia são infinitas considerando que hoje você encontra voos de várias cidades polonesas para cidades europeias diversas - não existe voo direto do Brasil para a Polônia. Eu cheguei por terra e fui embora voando, de Air France, com conexão em Paris para o Brasil.


Pela proximidade, Stettin é o ponto mais fácil de chegar de carro/trem/ônibus se você estiver em Berlim, Wroclaw se você estiver vindo de Dresden e Cracóvia, se você estiver vindo da República Tcheca ou Eslováquia, mas são várias outras opções conectadas com os países vizinhos (Alemanha, República Tcheca, Eslováquia, Ucrânia, Bielorússia, Lituânia e até um pedacinho da Rússia que fica separado da maior parte do país  - a região de Kaliningrado). Aliás Kaliningrado super combina com Gdansk e me arrependi de não incluído no roteiro (com que tempo, senhor? rs).


Viajando de ônibus pela Polônia
Estação central de trens em Varsóvia - domínio público



Eu estaria em Praga no final de julho e precisava então chegar em Cracóvia no comecinho de agosto, mas como vi que o trajeto terrestre é longo (6h30 de trem ou 7h30 de ônibus), decidir quebrar o trajeto em 2 e dormir uma noite em alguma cidadezinha pelo caminho. Aproveitei para conhecer outra cidade tcheca - Olomouc, que adorei! Poderia ter ido de avião (1h de voo), mas só de pensar em ir até aeroporto distante da cidade, fazer check-in, esperar o embarque, voar e chegar em outro aeroporto longe do centro, somaria mais de 4h e eu já tenho um treco - não faço isso de jeito nenhum nas minhas viagens europeias, vou explorando região a região!



Devido à pandemia, as informações de transporte podem ter mudado!


Viajando de ônibus pela Polônia


Como circular pela Polônia


Claro que um roteiro por várias cidades polonesas pode ser feito de carro alugado. Pelo que li na internet, não é difícil dirigir na Polônia, mas eu não gosto de dirigir nem na minha cidade, muito menos no exterior com placas em outro idioma e logo eliminei esta ideia.





Teria então que seguir de ônibus ou trem e os preços e tempos de viagem eram sempre parecidos. Mas o que me fez escolher viajar de ônibus entre as cidades foi mesmo o site/app da empresa de trem que é simplesmente horroroso! Depois de você selecionar o idioma inglês, a cada mudança de página ou atualização de qualquer coisa, ele voltava para o polonês!

Viajando de ônibus pela Polônia
Trens e estação de trens de Gdansk



Eu não queria deixar para comprar as passagens na hora na estação (com medo de encher, sei lá)  e para comprar com antecedência, não tinha a menor condição de comprar pelo site da empresa de trens o app e o site da Flixbus é ótimo e virou meu melhor companheiro na Polônia rs. É necessário ter cartão de crédito habilitado para uso no exterior.




Se tivesse escolhido viajar de trem entre as cidades do meu roteiro, teriam variações de preço e de tempo de viagem de acordo com o tipo de trem. Tem alguns mais rápidos (e mais caros) e outros mais demorados (e mais baratos). Alguns trechos entre cidades não tão grande talvez fosse necessário trocar de trem em alguma cidade maior.

Para sair ou chegar das rodoviárias, usei Uber/Bolt na maioria das vezes, por preguiça de final de viagem e por ser algo muito barato na Polônia. Bolt é o concorrente da Uber e que faz mais sucesso na Europa do Leste. Caso vá baixar o aplicativo Bolt, utilize o meu código para ganhar um desconto na primeira corrida "TYEVN9". ;)

O transporte público de cada cidade é variável. O que eu mais usei foi meu pé mesmo rs. Em Cracóvia, peguei tram para ir para alguns lugares mais longe, como o bairro judeu. Em Varsóvia, estava na casa de uma amiga que não mora na área central e pegava o metrô ou tram todos os dias (usei passe para 3 dias para economizar). Em Torun, Bydgoszcz, Poznan, Wroclaw e Gdansk, fiquei só na parte central das cidades e não precisei de transporte nenhum depois de chegar ao hotel ou hostel. Mas em alguns casos até teriam atrações menos centrais, que por diversos motivos acabei não visitando. Nos posts sobre cada cidade, explico melhor sobre o transporte público.


Ainda estou devendo muitos posts sobre cada uma das cidades, mas escrevi sobre onde ficar, o que e onde comer em Cracóviaonde ficar, o que e onde comer em Gdansk e sobre o Museu da Segunda Guerra Mundial em Gdansk, que aliás está na minha lista de top 10 museus mais surpreendentes que já conheci!

Viajando de ônibus pela Polônia


A Polki Bus era a principal empresa de ônibus polonesa, mas foi comprada pela Flixbus, que domina a maior parte dos trajetos, mas existem outras empresas. Comprando a passagem com antecedência é mais barato, mas na maioria dos casos eu comprava uns 3 dias antes - ia acompanhando os preços e comprava quando subia um pouco. Sempre escolhia horários decentes, não saindo de madrugada e chegando ao destino enquanto ainda tivesse luz do sol, para ser menos perigoso - pois estava viajando sozinha. Se fosse escolher horários piores, muitas vezes as passagens eram mais baratas.

No trecho Olomouc-Cracóvia, foram 3h40 e 10,99 euros. Cracóvia-Wroclaw 3h e 6,99 euros. De Wroclaw a Poznan, foram 2h35 e também 6,99 euros. Já de Poznan a Gdansk, foi o trajeto mais longo, 5h, e como era véspera de feriado, custou 9,99 euros. De Gdansk a Bydgoszcz foram 2h10 e 5,99 euros e de Bydgoszcz a Torun somente 0h55 e inacreditáveis 0,99  centavos! De Torun a Varsóvia, levou 3h50 e custou 7,99 euros.

Teoricamente tem wi-fi nos ônibus, mas costumava sair do ar nos trechos mais rurais. Não é necessário fazer reserva de assento e os bancos são menos confortáveis do que os ônibus intermunicipais no Brasil. Às vezes rolava uma confusão para colocar as malas no bagageiro, mas no final tudo dava certo. O  banheiro era ok e sempre com papel. A entrada USB para carregar celular às vezes funcionava certinho, mas nem sempre. Prefira sentar longe do banheiro e até sentar do lado direito para conferir se ninguém saiu com a sua mala nas paradas kkkk. O esquema de reservar assentos era bem confuso então em toda parada tinha uma certa demora para os novos passageiros se acomodarem. Eu demorei para entender as marcações verdes ou brancas de reserva, mas nas minhas passagens sem reserva sempre diziam para eu sentar em um banco marcado em verde.

Sobre atrasos dos ônibus, na Polônia mesmo não tive nenhum, mas saindo de Olomouc, o ônibus que vinha não sei de onde demorou um pouco mais de 1h, eu fiquei preocupada e acabei chegando em Cracóvia anoitecendo (coisa que odeio). Você consegue acompanhar pelo app onde o ônibus está, mas às vezes ele não atualiza. São muitos relatos de atraso pela internet, mas geralmente nos ônibus de madrugada e nas cidades e paradas menores pelo caminho (muitas vezes em lugares aleatórios e não em rodoviárias ou algo parecido). Meu ônibus de Munique a Cesky Krumlov na mesma viagem pegou muito trânsito para sair da cidade e atrasou para chegar no destino, mas saiu pontualmente. Para saber o local exato de partida, siga o mapinha que vem no email de confirmação - é infalível! Ali também está o endereço para colocar no uber/bolt ou afins. Não precisa imprimir a passagem, basta ter no seu celular (com bateria!). Abaixo coloquei 2 das minhas passagens para vocês verem como é.


Viajando de ônibus pela Polônia

Viajando de ônibus pela Polônia
Dá para ver os 2 mapas e sempre tem o endereço exato de onde o ônibus sai. Essa parte roxa é o QR code da passagem, que os motoristas escaneiam quando você entra no ônibus.



Descobri sem querer que os poloneses são fãs de fontes multimídia - achei em 4 cidades! É um programa bem legal para fazer nas suas noites por lá.

Como são as estações de trem, rodoviárias ou pontos de ônibus na Polônia


Na Europa "clássica", geralmente as estações de trem são mais centrais e mais preparadas para os usuários porque os trajetos de ônibus só se popularizaram mais recentemente. Não sei exatamente quando isso aconteceu na Polônia, mas as "rodoviárias"/"pontos de ônibus" podem ser bem precárias ou modernas. O jeito mais fácil de achar no Google Maps onde fica a rodoviária é procurar por "Dworzec autobusowy", "PKS" ou até "Flixbus", mas até hoje não entendi direito, porque isso não funciona igual 100% do tempo. Estação de trem seria o "nome da cidade + Glowny". Preste atenção porque pode ter mais de uma.

Em Cracóvia, a rodoviária tecnicamente fica atrás da estação de trem e parece nova, mas já está pequena e achei esquisita DEMAIS! Ela não fica no nível da rua, não tem saída (de pedestre) para a rua e não dá para chamar Uber/Bolt porque só ônibus ou táxis conseguem entrar. O jeito mais fácil é subir até o teto, que é o estacionamento de um shopping e pedir o carro de lá (BIZARRO rs). Tem uma área pequena coberta e lanchonetes, mas os 2 dias que passei por ali, estava sempre lotada e muito movimentada. Muito difícil de achar elevadores funcionando e quase certeza que você vai precisar deles se não for sair de táxi (eu desisti de procurar um elevador funcionando e carreguei a mala na escada normal mesmo)!

Em Wroclaw, a rodoviária fica atrás da estação de trem (linda como vocês podem ver na foto abaixo), no subsolo de um shopping chamado Wroclavia. É a mais bonita de todas - na parte superior dá para você esperar confortavelmente (ou até comer no shopping como eu fiz) e na parte de baixo, ficam só as plataformas de ônibus mesmo. Tinha elevador, banheiro e escada rolante.


Viajando de ônibus pela Polônia
Estação de trem de Wroclaw - Foto de cima: Jar.ciurus - CC BY-SA POL 3.0 e foto de baixo:  Bieniecki Piotr - CC BY SA 3.0



Viajando de ônibus pela Polônia
Parte inferior da rodoviária de Wroclaw, a mais arrumadinha que passei


Em Poznan, a rodoviária é espaçosa e fica "embaixo" de um shopping que parecia grande. Esse shopping fica ao lado da estação de trem (que eu nem cheguei a ver e não achei ligação para pedestre entre as duas). Eu saí de lá andando para o meu hotel (mas tive que atravessar umas avenidas gigantes esquisitas e um parque), mas na volta com preguiça (e pensando no trecho não amigável para pedestres que teria que percorrer) pedi um Bolt, que me deixou na estacionamento do shopping, na entrada das plataforma de ônibus.

Em Gdansk, a "rodoviária" está mais para um amontoado de pontos de ônibus rs e não tem nem cobertura direito. Fica atrás da estação de trem (que é linda - foto mais pra cima), mas não achei ligação para pedestre entre as duas. Como a estação de trem está em reforma, a parte da frente e o interior está meio confuso. Cheguei e saí de Bolt porque fica em uma avenida super movimentada e a região não é amigável para pedestre.

Em Bydgoszcz, a estação de trem e a rodoviária ficam bem longe uma da outra (e o meu hostel era no "meio" das duas). Na chegada, tive que esperar um tempo para conseguir um Bolt. Como é uma cidade menor, a oferta de carros é menor e vi que era tranquilo chegar ali de tram, ia utilizá-lo na hora de ir embora, mas como começou a chover muito, fui de Bolt mesmo. O prédio da rodoviária é total cara das rodoviárias de Campinas e Belo Horizonte nos anos 90 (bem acabadas), mas tem várias lojinhas. As plataformas de ônibus não tem cobertura suficiente e se chover é impossível não se molhar.

Viajando de ônibus pela Polônia
Rodoviária de Bydgoszcz


Em Torun, considere 2 estações de trem "grandes" - a Torun Glowny e a Torun Miasto, mas a Glowny fica do outro lado do rio e completamente fora de mão do centro histórico, que é o melhor lugar para se hospedar. Chegue pela Torun Miasto, se estiver de trem. Achei na internet vários pontos de ônibus/mini rodoviárias em pontos diferentes, mas os ônibus da Flixbus chegavam no ponto de ônibus em frente à Torun Miasto. Não cheguei a entrar para ver a infraestrutura da estação. Cheguei e saí a pé porque meu hotel era perto.


Viajando de ônibus pela Polônia
Frente da estação de trem e o ponto de ônibus ali na direita onde param os ônibus da Flixbus em Torun - print do Google Street View



Em Varsóvia, são várias estações de trem e pontos onde você pode chegar de ônibus, mas a minha passagem era para a Dworzec Autobusowy Warszawa Zachodnia, perto da estação Warsaw West. A rodoviária é bem grande e apesar dos ônibus pararem ao relento, tem bastante lojinhas e etc de apoio. O ônibus que tinha que pegar para a casa da minha amiga tinha um ponto bem na lateral da rodoviária. Comprei um ticket para 3 dias de transporte ilimitado na cidade em uma maquininha do lado de fora da rodoviária. Na hora de ir para o aeroporto, fui de Bolt porque não era horário de pico e ela já morava mais para o sul da cidade, na região onde fica o aeroporto.




Ufa! Se tiverem dúvidas sobre transporte dentro da Polônia ou assuntos correlatos, podem deixar nos comentários, que respondo a cada 10 dias aproximadamente! Em breve, continuo os relatos de cada cidade!

Viajando de ônibus pela Polônia




Você sabia que pode reservar hotelalugar carro, garantir seguro viagem com descontopesquisar passagens aéreas, comprar chip de internet para usar no exterior, conseguir ingressos para atrações no Brasil e no mundo todo, além de guias de diversas cidades e países pelos links aqui do blog? Você não gasta nenhum centavo a mais e o blog ganha uma pequena comissão! Obrigada!

6 comentários:

  1. Achei muito interessante sua viagem de ônibus pela Polônia, especialmente porque fugiu do lugar comum. A dica do Flixbus é show de bola e, sem dúvida, pesquisar feriado local é algo que a gente sempre deveria fazer para não acabar em alguma roubada (eu sempre esqueço! rsrs). Ainda bem que no seu caso acabou dando tudo certo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gente, eu AMEI essa viagem pela Polônia - legal demais! Mas da próxima não posso esquecer dos feriados kkkk

      Excluir
  2. Lendo seu post fiquei com muita vontade de viajar de ônibus pela Polônia. Esse é um destino que vale a pena explorar todos os cantinhos.

    ResponderExcluir
  3. Que dicas maravilhosas! Ainda quero conhecer a Polônia e pude ver que ir de ônibus é uma ótima pedida

    ResponderExcluir

Todos os comentários no "Tá indo para onde?" passam por moderação e por isso não aparecem de imediato. Ele só vai aparecer quando for respondido. Em geral, os comentários são respondidos quinzenalmente.