quarta-feira, 1 de julho de 2020

[Viajando na História] O mês de Junho na História

Algumas semanas atrás comecei a postar sobre algumas datas históricas e monumentos lá no Instagram e mês passado fiz um resumo aqui no blog, que continuo com este post de hoje: acontecimentos e pontos turísticos relacionados ao mês de Junho ao longo dos anos! História sempre foi a minha matéria preferida na escola e não é à toa que destinos históricos sempre estão entre os meus preferidos. Para qualquer lugar que eu vá, eu pesquiso sobre a História do local/país antes e durante a viagem. Acredito que não faz nenhum sentido você se deslocar até o outro lado do mundo para tirar uma selfie na frente de um monumento sem ter a mínima ideia do porquê aquele se tornou um monumento importante/famoso, por exemplo.



O mês de Junho na História


Fora que dá um outro sabor para as viagens quando você entende de onde vieram os nomes das ruas/praças/bairros/estações de metrô etc (por exemplo Avenida 9 de Julho em São Paulo ou estação de metrô Oranienburger Tor em Berlim). É muito mais gostoso ir embora de um lugar entendendo o que viu ao invés de simplesmente ter passado para cumprir tabela ou riscar da listinha de "obrigações".


O mês de Junho na História
Jardim Botânico do Rio de Janeiro



Estes posts não tem a intenção de ser algo definitivo sobre o tema - são milhares de acontecimentos importantes todos os dias pelo mundo e vou focar naqueles que acho mais relevantes no geral para o turismo e somente nos destinos que já são tratados aqui no blog. Em junho, falamos de voos de balão, viagens de trem, Rio de Janeiro, Alemanha (e Berlim), uma grande festa peruana em Cusco, Toronto, Primeira Guerra Mundial, Copa do Mundo e Olimpíadas!


Aqui no blog já são dezenas de posts aprofundando sobre diversos aspectos históricos dos destinos por onde passei!






Primeiro Voo de Balão


O homem sempre teve fascínio pelos céus e vontade de voar como os pássaros. Leonardo da Vinci já havia projetado uma espécie de helicóptero lá no século XV, mas só entre 1782-1784 que os irmãos franceses Montgolfier fizeram as primeiras experiências com balões de ar quente tripulados. Em Annonay (França), fizeram a primeira demonstração pública do voo de balão (amarrado ao solo) em 04 de junho de 1783. Em 21 de novembro do mesmo ano, o primeiro balão pilotado por Jean-François Pilâtre de Rozier e  François Laurent le Vieux d'Arlandes  levantou voo - perto do parque Bois de Boulogne em Paris, voou por mais ou menos 9 km a cerca de 910m do chão e pousou 25 minutos depois. Os primeiros balões na verdade já eram utilizados na China entre os anos 220-280 dC para emitir sinais militares e um padre brasileiro (Bartolomeu de Gusmão) teria demonstrado um breve voo de balão para a corte portuguesa ainda em 1709 em Lisboa (sem ninguém dentro - fato considerado um boato por muitos).



Junho na História - primeiro voo de balão


Anos depois, o brasileiro Santos Dumont mudou-se para Paris e foi um dos primeiros membros do Aéro-Club de France - ele desenvolveu o dirigível com motor a gasolina para não depender da direção do vento e mais tarde alguns dos primeiros aviões. Não vou entrar na polêmica dos Irmãos Wright americanos (que precisavam de uma plataforma para fazer os seus aviões saírem do chão enquanto o modelo do brasileiro saía do chão sozinho), mas a minissérie da HBO "Santos Dumont" que vi recentemente sobre o inventor brasileiro é bem legal!



Junho na História - primeiro voo de balão
Cena da minissérie da HBO "Santos Dumont", que além de ter inventado o avião da foto, era um famoso balonista em Paris e inventor do dirigível.





Inauguração do Expresso do Oriente (Orient Express)



No dia 5 de junho em 1883, partiu de Paris o primeiro trem Expresso do Oriente com destino a Viena. No seu ápice, ele ligava Paris a Constantinopla (hoje Istambul) em 3 dias, mas as rotas foram alteradas diversas vezes. Na primeira metade do século XX, começaram as rotas para a Ásia, mas o serviço foi interrompido durante a Primeira e a Segunda Guerra Mundial. Em 1930, chegou em seu apogeu com 3 linhas: o Expresso do Oriente original de Paris a Istambul, o Simplon Orient Express, que servia Londres, e o Arlberg Orient Express (de Paris a Bucareste ou Atenas). A partir dos anos 60, diminuíram as linhas e frequências e a icônica linha de trem foi decaindo.


Junho na História - início do Orient Express


Viajar de trem hoje não é nem de perto luxuoso como a viagem mostrada no filme "Assassinato no Expresso do Oriente", baseado no livro de Agatha Christie (recomendo), mas definitivamente é o jeito mais confortável de se viajar pela Europa em trajetos de poucas horas. Sempre dei prioridade para este tipo de transporte quando estive viajando pela Itália, Espanha e Alemanha e não vejo a hora de viajar de novo de trem. É barato viajar em trens regionais, mas se for uma rota um pouco maior, a dica é comprar a passagem com bastante antecedência para evitar preços exorbitantes. Além do assento em si ser mais confortável do que um assento de ônibus e o limite de peso da bagagem ser na prática o quanto você conseguir carregar, a maior vantagem é sair e chegar em estações centrais nas principais cidades, muitas vezes por estações históricas lindíssimas.







Junho na História - início do Orient Express
Rotas diferentes para o Orient Express ao longo dos anos


É possível também viajar em trens regulares na Costa Leste dos Estados Unidos ou ainda no Canadá (experimentei e aprovei este último em 2018) e outros lugares pelo mundo, mas infelizmente no Brasil, temos só poucos trechos turísticos. Entre Campinas e Jaguariúna no interior de São Paulo, já fiz um passeio turístico em uma antiga maria fumaça!






Copa do Mundo na África do Sul



Em junho/2010, começava a Copa do Mundo 2010 na África do Sul! A vuvuzela não deixou saudades, mas a música "Waka Waka" da Shakira sim!!! Foi a primeira (e até agora a única Copa) no continente africano. Adorei acompanhar porque as seleções da Alemanha e da Espanha estavam no auge e eu era fã de vários jogadores. Já tinha viajado durante Copa do Mundo em 2006 pela Espanha e Alemanha, mas dessa vez foi diferente: Eu cheguei em Amsterdã no dia da final, que foi Espanha x Holanda!!! Fiquei tensa com o chute no peito que o Xabi Alonso levou e comemorei internamente (porque eu estava em território "inimigo" rs)  o gol da vitória feito pelo Iniesta no 2o tempo da prorrogação!




Em 2014, fui para a África do Sul, que estava mais preparada para receber turistas do que antigamente, mas não consegui visitar o estádio da Cidade do Cabo porque era dia de um grande evento.

Nem sou tão fã assim de futebol, mas é MUITO legal viajar durante uma Copa do Mundo para algum país que esteja envolvido na competição ou se possível, para o país sede. Eu não consegui aproveitar NADA da Copa aqui no Brasil, mas apesar do 7x1, fiquei feliz que a Alemanha ganhou. Tem até um post aqui falando sobre essas viagens em época de Copa!



Junho na História - Copa do Mundo na África
Eu e amigos de países diferentes torcendo para o Brasil em algum bar de Granada (Espanha) na Copa de 2006

Junho na História - Copa do Mundo na África
Assistindo a final França x Itália no telão da Fifa Fanfest em Munique em 2006

Junho na História - Copa do Mundo na África
Eu no meio da multidão na comemoração do 2o lugar da Holanda na Copa de 2010, no dia que os jogadores voltaram para casa e desfilaram pelos canais de Amsterdã!







Inauguração do Jardim Botânico no Rio de Janeiro



O Jardim Botânico do Rio de Janeiro – JBRJ – foi fundado em 13 de junho de 1808. A Família Real Portuguesa veio para o Brasil fugindo de Napoleão naquele ano e se instalou no Rio de Janeiro. O príncipe regente português D. João teve a ideia de instalar na cidade maravilhosa um jardim para aclimatação de espécies vegetais originárias de outras partes do mundo. Além das investigações sobre diversas plantas, a área foi ampliada para servir também como espaço de lazer para a população - com adições de lagos e cascatas, drenagem dos pântanos, etc.

Leia aqui todos os posts sobre o Rio de Janeiro no blog!



Junho na História - inauguração do Jardim Botânico do Rio


O Jardim Botânico recebeu o nome de Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro em 1995, está vinculado ao Ministério do Meio Ambiente e é um dos mais importantes centros de pesquisa mundiais nas áreas de botânica e conservação da biodiversidade.   São cerca de 6.500 espécies (algumas ameaçadas de extinção), distribuídas por uma área de 54 hectares, ao ar livre e em estufas. A instituição abriga monumentos de valor histórico, artístico e arqueológico e a mais completa biblioteca do país especializada em botânica, com mais de 32 000 volumes e o maior herbário do Brasil, que possui 600 mil amostras desidratadas (número de 2014, mas milhares são incorporadas anualmente). O destaque é a alameda com diversas palmeiras imperiais que podem chegar à altura de um prédio de 15 andares!

Visitei o Jardim Botânico quando estive no Rio sozinha por alguns dias em 2017 e o ingresso custa R$15,00. Fiquei uma tarde inteira por ali.





Berlim volta a ser sede do governo da Alemanha



A família Hohenzollern que governava a região de Brandemburgo se instalou em Berlim no século XV e tornou a cidade a capital de seu império. Quando Brandemburgo passou a fazer parte da Prússia no século XIX, Berlim tornou-se a capital do Império Prussiano e posteriormente da Alemanha. Após a Segunda Guerra Mundial, a Alemanha e Berlim foram divididas entre os vencedores aliados: EUA, França, Inglaterra e União Soviética, sendo que metade de Berlim ficou como capital da Alemanha oriental -  República Democrática Alemã (RDA em português/ GDR em inglês/DDR em alemão) e Bonn como a capital da Alemanha ocidental - República Federal da Alemanha (West Germany ou Federal Republic of Germany em inglês/ Bundesrepublik Deutschland em alemão).


Leia aqui todos os posts sobre Berlim e sobre a Alemanha!



Junho na História - Berlim é votada como a sede do governo alemão após reunificação
Bundeskanzleramt - Chancelaria - Foto: Rolf Heinrich - CC 3.0


Bonn não era uma cidade grande e nem era significativa em termos históricos, econômicos ou políticos até ser estabelecida como sede do governo provisório da Alemanha em 1949. Quando o Muro de Berlim caiu em 1989 e a Alemanha se reunificou em 1990, era necessário decidir por somente uma sede do governo. Bonn tinha mais infraestrutura (por conta do governo da RFA), estava mais perto do centro financeiro alemão (Frankfurt) e Berlim ainda estava parcialmente destruída pela guerra e pela existência do muro. Mas a tradição e a possibilidade de poder reconstruir parte de Berlim falou mais alto e os legisladores alemães após horas de discussão em 20 de junho de 1991 (29 anos atrás) decidiram por reinstalar a sede do governo em Berlim com votação apertada (337 votos para Berlim e 320 para Bonn).



Junho na História - Berlim é votada como a sede do governo alemão após reunificação
antiga prefeitura de Bonn  - foto Pixabay


Junho na História - Berlim é votada como a sede do governo alemão após reunificação
florada das cerejeiras em abril na rua mais bonita da Alemanha, em Bonn 


Havia um temor de que Bonn sofreria diversos problemas, mas aparentemente segue sendo uma cidade de médio porte e teve crescimento populacional e econômico depois de ter deixado de ser capital. Berlim foi extremamente beneficiada pela decisão, inclusive com a construção e reforma/reconstrução de dezenas de prédios públicos  e melhoria da economia nos bairros que pertenciam à antiga RDA/GDR/DDR. Claro que uma mudança dessa não acontece da noite para o dia. O Parlamento alemão só voltou a funcionar em Berlim já no final dos anos 90, no Reichtag com a nova cúpula. Algumas empresas estatais (privatizadas), embaixadas e órgãos internacionais como a ONU ficaram em Bonn. Em 2011, calculava-se um gasto anual de mais de 9 milhões de euros por conta de escritórios e funcionários duplicados, além das viagens constantes de funcionários públicos entre as duas cidades. Em 2019, ainda existiam 6 ministros (dos 14 Ministérios) com a sede principal em Bonn. O Partido Verde alemão seria o principal interessado na mudança de todos os Ministérios para Berlim, devido ao dano ambiental causado pelos vôos nacionais (são cerca de 600km - 6h de carro, 5h de trem ou um pouco mais de 1h de avião - que separam as duas cidades).





Inti Raymi - Cusco (Peru)



"Todo dia 21 de junho, quando o sol se põe sobre o Trópico de Câncer, começa o inverno no hemisfério sul e o verão no hemisfério norte. Não é apenas o começo de uma nova estação, mas também a noite mais longa do ano, na qual as histórias andinas e milenares são renovadas; é a noite que antecede a grande Festa do Sol: o Inti Raymi (no idioma quéchua). A mais importante celebração da capital Inca, Cusco (Peru) e festividade que arrasta multidões será celebrada do próximo dia 24 de junho, sem público em 2020.

Leia aqui todos os posts sobre Cusco e aqui sobre o Peru!


Junho na História - Inti Raymi em Cusco
Na Plaza de Armas. Foto: Heinz Plenge Pardo/PROMPERÚ


Junho na História - Inti Raymi em Cusco
Em Sacsayhuamán. Foto: Gihan Tubbeh/PROMPERÚ



O último registro do Inti Raymi é de 1535, quando a cerimônia foi suspensa pelos espanhóis. Teve-se que esperar até 1944 para que a festa se revalorizasse, embora não com os Incas e nem na mesma data (21 de junho), mas no dia 24 do mesmo mês. Em sua versão original, de acordo com as crônicas do Inca Garcilaso de la Vega, a festa durava nove dias e os cusqueños se preparavam três dias antes com uma dieta rigorosa à base de milho e ervas. O evento, que era ponto de partida do novo ano, se celebrava na atual Praça de Armas (anteriormente, o antigo Auqaypata ou Praça do Guerreiro) e se traziam as múmias de nobres ancestrais para que eles também pudessem participar da celebração ao Pai Sol (Taita Inti em quéchua).


A Prefeitura de Cusco e EMUFEC, que organizam o Inti Raymi todos os anos, vêm trabalhando para evocar a celebração inca com a ajuda de plataformas digitais como a realidade virtual 360 e resumo das edições anteriores. Em 2020, fizeram uso de plataformas digitais e telecomunicações para chegar a todos os lugares. 


Junho na História - Inti Raymi em Cusco
Em Sacsayhuamán. Foto: Gihan Tubbeh/PROMPERÚ

Junho na História - Inti Raymi em Cusco
No templo Qoricancha. Foto: Heinz Plenge Pardo/PROMPERÚ


A programação do Inti Raymi 2020 teve um formato semelhante à de todos os anos. Às 8h, cerimônia de hasteamento da bandeira de Cusco por parte da Municipalidade e a missa na Catedral de Cusco. Ao meio-dia, a mensagem de esperança e de reencontro para o ano 2021 dos Incas ao “Deus Sol”. Às 18h, um especial do Inti Raymi, que inclui a experiência em realidade virtual. Vale ressaltar que dentro do Inti Raymi no domingo, 21/06, foi realizado um tour virtual pela coleção de evidências arqueológicas de Machu Picchu, recuperadas pela Yale. Um segundo tour virtual foi realizado no dia 21/06. Desta vez, será feita a rota do sol que une o templo inca de Qoricancha com a imponente fortaleza de Saqsaywaman, onde o Inti Raymi é encenado todos os anos com a presença de mais de 700 atores e artistas". Foi possível acompanhar tudo pelo face, youtube e instagram @emufecfiestasdelcusco."

Texto da assessoria de imprensa @boaventuracomunicacao


Lá em 2015 viajei para o Peru nessa época sem saber de nada disso! O ingresso para a festa era muito caro, mas vimos shows e desfiles na Plaza de Armas de Cusco, além de aproveitar as barraquinhas de comida e artesanato pela cidade e a bagunça (boa) daqueles dias!







Fundação do COI - Olimpíadas


Em 23 de junho de 1894 foi criado o COI (Comitê Olímpico Internacional) por iniciativa do Barão de Coubertin, que desejava reinstituir os Jogos Olímpicos da Grécia antiga. Após 1.500 anos de pausa, realizou-se em 1896 a 1a edição dos Jogos Olímpicos da era moderna em Atenas. Com o lema  "CitiusAltiusFortius" (que significa "mais rápido, mais alto, mais forte") e a bandeira da foto acima de fundo branco e 5 círculos vermelho, verde, preto, azul e amarelo, acontecem a cada 2 anos hoje, alternando entre as Olimpíadas de Verão (maiores e mais famosas) e os Jogos de Inverno (que muita gente nem liga). As Olimpíadas de Tóquio 2020 foram adiadas por conta da atual pandemia (já que lá ninguém tem físico de atleta #ironia) e algumas edições já foram canceladas por conta de guerras.

Além da diversão que é testar os seus conhecimentos geográficas no desfile de abertura com um monte de bandeiras e países que não costumam aparecer nos noticiários rotineiramente, é legal acompanhar alguns dos seus esportes preferidos e descobrir alguns outros - eu nem ligo para natação ou ginástica olímpica na "vida real", mas gostei de acompanhar as competições dos últimos anos. Além disso, participar de alguma Olimpíada ao vivo deve ser divertido e cansativo - nunca fui para nenhuma, nem para o Rio em 2016.

É inegável que diversos bairros ou cidades inteiras foram reformulados para os jogos em anos diversos e isso proporcionou desde melhorias em aeroportos e trânsito até a novos equipamentos de lazer para a população e turistas após os Jogos. Exemplos clássicos disso são o Parque Olímpico de Montreal (1976, que visitei em 2018), o Olympiapark em Munique (1972, que conheci em 2004 e voltei em 2006), a região do Porto Maravilha no Rio de Janeiro totalmente reformulado e revitalizado (que visitei em 2017 e 2018) e o maior exemplo de todos - Barcelona. É consenso que o planejamento urbanístico da cidade para os Jogos de 1992 foi imenso e impacta até hoje o turismo na cidade. Da próxima vez que for viajar para alguma cidade grande, confira antes se ela já foi sede de Olimpíadas, porque pode ter algum atração relacionada ao assunto que valha a pena visitar!


Junho na História - Fundação do COI - Olimpíadas
Anella Olimpica em Barcelona construído para os Jogos de 1992







Inauguração da CN Tower em Toronto



A CN Tower (Tour CN) é uma torre de comunicações e observação no centro de Toronto, que se tornou um dos símbolos da cidade "mais importante" do Canadá e até do país todo. No dia 26 de junho de 1976, ela abriu para o público pela primeira vez, tendo custado cerca de 63 milhões de dólares canadenses (+/- 270 milhões de dólares americanos em 2018). O nome "CN" vem da Canadian National Railway, empresa de trens que a projetou. A construção de diversos arranhas-céus em Toronto nos anos 60 estava prejudicando a transmissão de radiofusão e era necessário um local muito alto para instalação de antenas.

A torre levou pouco mais de 3 anos para ser construída e se tornou a estrutura mais alta do mundo por algum tempo com mais de 553 metros de altura. Lá em cima tem um restaurante com vista extraordinária (que dá uma volta completa em 72 minutos) e por isso eu acabei subindo duas vezes, uma de dia e outra de noite! Assim como a Torre de TV de Berlim, uma das coisas mais legais de se fazer em Toronto é ficar procurando a torre de qualquer lugar em que você esteja, mas o meu local preferido é da Toronto Island.



Junho na História - Inauguração da CN Tower em Toronto
CN Tower e skyline de Toronto vistos da Toronto Island



A torre está sempre iluminada à noite e suas lâmpadas LED podem mudar de cor para representar grandes acontecimentos. Hoje é a terceira torre mais alta do mundo - perdendo para a Tokyo Skytree em Tóquio (Japão) e a Canton Tower em Guangzhou (China) e a estrutura mais alta das Américas.


Já subi em outras torres parecidas em Berlim, Stuttgart, Munique e Niagara Falls e a vista do alto é sempre um atrativo turístico!








Assinatura do Tratado de Versalhes - fim da Primeira Guerra Mundial


Em 28 de junho de 1919, foi assinado o Tratado de Versalhes, encerrando oficialmente a Primeira Guerra Mundial. O tratado determinava que a Alemanha aceitasse todas as responsabilidades por conta da guerra e obrigava o país a ceder parte do seu território (e suas colônias). A Alemanha perdeu cerca de 13% do seu território e 10% da sua população. O país também teve que lidar com uma restrição ao tamanho do seu exército e teve que pagar uma fortuna em indenizações (33 milhões de dólares) - a última parcela só foi paga em 2010.

O Tratado provocou nos alemães um sentimento de humilhação, que junto com o momento econômico difícil nas década seguintes, levou à ascensão do Nazismo e à Segunda Guerra Mundial. O tratado também redesenhou os mapas do mundo, extinguindo países, criando outros e dividindo mais alguns, o que causou ainda mais tensões em várias regiões do planeta (novos conflitos no século XX na África por ex). Exatamente 5 anos anos, em  28 de junho de 1914, o arquiduque e herdeiro do trono austríaco, Francisco Ferdinando, foi alvo de um atentado terrorista durante uma carreata em Sarajevo, capital da Bósnia - fato que foi o estopim para o início da Primeira Guerra.


Leia aqui todos os posts sobre Paris no blog, inclusive um passeio ao Palácio de Versalhes!



Junho na História - Tratado de Versalhes põe fim à Primeira Guerra Mundial
Pintura da assinatura do Tratado de Versalhes na famosa Galeria dos Espelhos (William Orpen: The Signing of Peace in the Hall of Mirrors)


Junho na História - Tratado de Versalhes põe fim à Primeira Guerra Mundial
Mapa da Europa antes e depois da Primeira Guerra Mundial








Leia aqui todos os posts da série "Viajando na História"!


Fontes: Wikipedia, revistas Aventuras na História, balão 1balão 2balão 3Orient Express 1Orient Express 2Orient Express 3Orient Express 4Orient Express 5, site oficial do Jardim Botânico, Berlim 1Berlim 2Berlim 3Bonn 1Berlim 4Berlim 5CN TowerTratado de Versalhes 1Tratado de Versalhes 2Tratado de Versalhes 3Tratado de Versalhes 4. Todas as fotos antigas deste post são de domínio público.


Você sabia que pode reservar hotelalugar carro, garantir seguro viagem com descontopesquisar passagens aéreas, comprar chip de internet para usar no exterior, conseguir ingressos para atrações no Brasil e no mundo todo, além de guias de diversas cidades e países pelos links aqui do blog? Você não gasta nenhum centavo a mais e o blog ganha uma pequena comissão! Obrigada!

12 comentários:

  1. Que post rico! Adorei as informações e saber um pouco mais dos acontecimentos do mês!!

    ResponderExcluir
  2. Que maneiro! Adorei a sua dissertação sobre alguns lugares do mundo, além dos eventos marcantes. Lógico que eu vou puxar a sardinha para o Brasil.. kkk.. adorei ler sobre o Jardim Botânico :-)

    ResponderExcluir
  3. Estou adorando acompanhar essa série histórica e aprendendo muita coisa nova, principalmente sobre o nosso país, como sobre o Jardim Botânico. Até o próximo post do mês!

    ResponderExcluir
  4. Muito legal saber um pouco mais do que o mês de junho significa na memória de todo o mundo. Mais legal lembrar que viajar torna a História ainda mais real. Parabéns!

    ResponderExcluir
  5. Adorei viajar nas histórias com vocês! Muito interessante saber mais sobre os balões, tenho uma tatuagem de balão no braço de tanto que gosto deles rs

    ResponderExcluir
  6. História faz parte de qualquer viagem né. Eu adoro conhecer os fatos históricos do local que conheço, mas nunca tinha parado para avaliar os fatos históricos por mês. Uma boa forma de abordar o assunto e tantas curiosidades.

    ResponderExcluir

Todos os comentários no "Tá indo para onde?" passam por moderação e por isso não aparecem de imediato. Ele só vai aparecer quando for respondido. Em geral, os comentários são respondidos quinzenalmente.