domingo, 2 de fevereiro de 2020

Como foi a resistência alemã contra Hitler e o nazismo? Memorial da Resistência Alemã, Operação Valquíria e grupo Rosa Branca (Weisse Rose)

Quando falamos em Segunda Guerra Mundial, na maioria das vezes pensamos nos campos de concentração, nas mortes, nos guetos e no extermínio dos judeus, no louco do Hitler ou até nas consequências históricas (por exemplo Guerra Fria e corrida espacial entre EUA e URSS) . Muita gente se pergunta como que o povo alemão concordou com aquilo tudo e deixou chegar ao ponto onde chegou. Claro que muita gente concordou e trabalhou para que tudo isso virasse realidade. Muitos fizeram vista grossa. Mas teve uma outra parcela que muita gente esquece de alemães (e outros povos) que resistiram e lutaram contra toda a sandice do nazismo.


Como foi a resistência alemã contra Hitler? Memorial da Resistência Alemã, Operação Valquíria e grupo Rosa Branca (Weisse Rose)
Memorial da Resistência Alemã e Memorial Rosa Branca


No post de hoje, vou falar sobre duas iniciativas de resistência contra o nazismo e dois memoriais imperdíveis sobre o assunto, um em Berlim e o outro em Munique. E os dois locais são grátis - não tem desculpa para não visitar!



Vejam aqui todas as dicas de Berlimaqui as dicas de Munique e aqui as dicas da Alemanha toda no blog!




Gedenkstätte Deutscher Widerstand - Memorial da Resistência Alemã (Berlim)

Gedenkstätte Deutscher Widerstand - Memorial da Resistência Alemã (Berlim)



Localizado no Bendler Block (no bairro de Mitte, perto do Tiergarten), o memorial com entrada grátis conta com uma exposição permanente e espaço para exposições temporárias sobre a resistência alemã ao nazismo. É um importante centro de pesquisa sobre o assunto, com extensa informação escrita, vídeos e áudios - em inglês e alemão. Tem audioguide grátis em espanhol, mas se você souber inglês fica menos cansativo.


Gedenkstätte Deutscher Widerstand - Memorial da Resistência Alemã (Berlim)
Alguns dos indivíduos e grupos que lutaram contra os nazistas com os meios que tinham entre 1933 e 1945.

A exposição mostra como funcionava a resistência do movimento dos trabalhadores, dos religiosos, de artistas e intelectuais, dos jovens, de judeus e outros grupos. Conta sobre o atentado de 1939, o atentado de 1944 (mais famoso), grupos de resistência como o Rosa Branca e o Orquestra Vermelha e sobre o exílio.


Gedenkstätte Deutscher Widerstand - Memorial da Resistência Alemã (Berlim)
A foto de cima à direita é de um dos mais famosos resistentes contra o nazismo - Oskar Schindler e sua esposa.


O complexo Bendler Bock abrigava o alto comando do exército nos anos 40 e a rua da frente passou a se chamar "Stauffenbergstrasse" em homenagem a Claus Stauffenberg (Tom Cruise, no filme Operação Valkíria - quem lembra?). O pátio foi reconstruído como um memorial aos oficiais que foram executados ali em 20/julho/1944 após a tentativa fracassada de golpe.


Recomendo também a visita ao campo de concentração Sachsenhausen nos arredores de Berlim e ao campo de concentração em Dachau, nos arredores de Munique, mas se prepare antes com lista de livros (e filmes) sobre o holocausto e campos de concentração. O Memorial da Resistência Alemã é uma ótima opção de passeio quando está chovendo em Berlim.


Você sabia que o seguro viagem é OBRIGATÓRIO para entrar na Europa??? Para viajar tranquilo, garanta já o seu seguro viagem com a parceira do blogReal Seguros - comparador de preços com as melhores seguradoras do mercado! Você não gasta nenhum centavo a mais por isso e colabora para manter o blog!


Seguro viagem europa 336x280


Operação Valkíria


Para quem curte filmes baseados em fatos reais, históricos e de guerra, recomendo o filme Operação Valquíria, com Tom Cruise como o coronel Claus Stauffenberg, um dos líderes do atentado contra Hitler em 1944, que é extensamente explicado no Memorial da Resistência Alemã acima. Leia mais sobre o plano, que planejava o fim do governo de Hitler e da Segunda Guerra Mundial aqui.















Viaje Conectado




Weisse Rose Stiftung (Munique) e grupo Rosa Branca


O grupo Rosa Branca (Weisse Rose em alemão) foi um grupo de resistência contra o nazismo formado majoritariamente por estudantes da Universidade Ludwig Maximilian em Munique e que distribuía panfletos para alertar a população sobre o verdadeiro rumo da Segunda Guerra Mundial, do partido nazista e outras situações da época - as fakes news já circulavam amplamente.

Segundo o livro "A Rosa Branca", escrito pela irmã de dois dos integrantes do grupo, "o círculo da Rosa Branca em Munique tinha o objetivo de gerar uma crescente conscientização pública acerca do verdadeiro caráter do nacional-socialismo e da situação concreta para a qual o regime havia conduzido a Alemanha e a Europa. Eles queriam difundir a ideia de resistência pacífica nos mais diversos âmbitos sociais."

Como foi a resistência alemã contra Hitler? grupo Rosa Branca (Weisse Rose)
Monumento em frente à Universidade Ludwig Maximilian em Munique


Como foi a resistência alemã contra Hitler? Weisse Rose Stiftung - Memorial Rosa Branca em Munique
Busto de Sophie Scholl no saguão de um dos prédios da Universidade


Ainda no livro "A Rosa Branca" temos um artigo escrito por Rainer Hudeman em 2013 chamado "A Rosa Branca no contexto da resistência alemã durante o Terceiro Reich" e o autor diz que "nas décadas que se seguiram à guerra, foram revelados muitos outros detalhes da resistência, já que as pesquisas sobre o "Terceiro Reich" descobriram e exploraram cada vez mais novos aspectos e campos de estudo. Por um lado, a extensão, a motivação e a as estruturas de apoio ao regime foram estudadas de maneira mais diferenciada e aprofundada. Por outro lado, evidenciaram-se outras formas de comportamento que  podem ser incluídas no vasto campo da resistência. No âmbito mais estritamente individual, isso abrange atos de sabotagem feitos por trabalhadores alemães e estrangeiros, círculos de discussão das mais diversas tendências, como a primeira fase da Rosa Branca, a distribuição de panfletos, a organização de resistência nos campos de concentração, a oferta de esconderijos a judeus e a outras pessoas perseguidas ou a saudação explícita a cidadãos judeus em público, o que era proibido...


Nos anos do pós-guerra, a prioridade da Alemanha era a reconstrução material e política, o retorno às tradições democráticas da história alemã, contrariamente à visão, bastante difundida fora da Alemanha, de que o nacional-socialismo teria sido a expressão da própria "alma alemã", consequência de uma mentalidade de obediência servil aos dirigentes que seriam parte do "caráter do povo alemão". Alguns políticos, cientistas e professore de cursos oferecidos para soldados nas zonas de ocupação dos aliados chegaram a identificar as raízes desse fenômeno até mesmo nos escritos de Lutero e atribuíam essa atitude ao militarismo e imperialismo - supostamente inato - dos alemães. Até hoje é possível ouvir ou ler tais interpretações, cujas origens remontam à psicologia antropológica do século XIX".


Como foi a resistência alemã contra Hitler? Weisse Rose Stiftung - Memorial Rosa Branca em Munique
Muitas fotos, depoimentos em vídeo e documentos sobre o grupo, os panfletos e consequências


Como foi a resistência alemã contra Hitler? Weisse Rose Stiftung - Memorial Rosa Branca em Munique

Como foi a resistência alemã contra Hitler? Weisse Rose Stiftung - Memorial Rosa Branca em Munique

Como foi a resistência alemã contra Hitler? Weisse Rose Stiftung - Memorial Rosa Branca em Munique
Praça em frente à Universidade Ludwig Maximilian



Depois de voltar para a cidade pela 3a vez em 2019, fiz um post com dicas de onde comer em Munique, incluindo dicas de moradores locais!


Filmes e livros sobre a resistência contra o nazismo


Enquanto para a maioria das pessoas toda essa história de nazismo parece uma loucura sem sentido, ainda existe uma parcela de pessoas que não entendeu o recado - vide os movimentos neonazistas ou a negação do holocausto... Se até o governo alemão e os alemães fazem questão de manter memoriais sobre esses assuntos para que as futuras gerações não repitam os erros do passado, obviamente que em um blog que fala muito sobre turismo na Alemanha, é "obrigatório" ter posts contra movimentos similares que estão surgindo/se fortalecendo em pleno século XXI.

Para quem quer aprender mais sobre o assunto em filmes, recomendo os seguintes posts: Top 10 filmes para entender o holocaustoFilmes sobre o nazismo e a Segunda Guerrafilmes que retratam a história da Alemanha e sobre o filme "Sozinhos em Berlim". Para quem preferir ler livros, recomendo abaixo:








Como foi a resistência alemã contra Hitler e o nazismo? Memorial da Resistência Alemã, Operação Valquíria e grupo Rosa Branca (Weisse Rose)


Você sabia que pode reservar hotelalugar carro, garantir seguro viagem com descontopesquisar passagens aéreas, comprar chip de internet para usar no exterior, conseguir ingressos para atrações no Brasil e no mundo todo, além de guias de diversas cidades e países pelos links aqui do blog? Você não gasta nenhum centavo a mais e o blog ganha uma pequena comissão! Obrigada!

22 comentários:

  1. Fer, não acredito que passei em frente à Universidade Ludwig Maximilian e não visitei esse memorial. Tinha que ter lido seu post há uns 7 anos..kkk! Muito bom, adorei conhecer um pouco mais desse assunto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk e eu só fui descobrir na minha 3a vez na cidade... Isso que dá não existirem blogs bons sobre Munique 15 anos atrás hehehe

      Excluir
    2. quem dera a operação valquiria tivesse dado certo, com ctz teria salvado muitas vidas...melhor seria se não tivessem botado ele no poder né, mas erros do passado

      Excluir
    3. Pois eh... to lendo um livro sobre a História da Alemanha e estou justamente na parte sobre como Hitler chegou ao poder. A situação econômica, desemprego etc naquela época por lá é assustadoramente parecida com o Brasil atual.

      Excluir
  2. Boa partilha. Esquecer a história e os seus horrores é abrir a porta para que esta regresse. Nunca aí estive, mas parece-me bem interessante.

    ResponderExcluir
  3. Estive 2 vezes em Munique e não sabia sobre o memorial! Acho importantíssimo visitar esses lugares quando há oportunidade - estive em Dachau há quase 15 anos e até hoje me lembro do impacto que me causou - pois é preciso se lembrar desses horrores para que não se repitam jamais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mesmo caso q eu hahahha só conheci na minha 3a vez na cidade - não é muito divulgado mesmo infelizmente.

      Excluir
  4. Sem palavras!Excelente post, vou guardar, porque quero muito ir.

    ResponderExcluir
  5. Sempre me interessei sobre tudo relacionado a esse período da história, já li vários livros, visitei alguns lugares, mas não sabia desse memorial. Com certeza vou querer visitar.

    ResponderExcluir
  6. Muito importante conhecer estes lugares e manter a história viva, mesmo que seja para que não se repita. Ser resistência ao nazismo não foi, certamente fácil. Interessantíssimos lugares. Ótimo post com ótimas informações!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! A parte difícil da resistência é bastante mostrada no memorial! Adorei!

      Excluir
  7. Que post útil! Seguramente quero conhecer tais atrativos tão importantes quando estiver por estas bandas! Muito necessários nos dias atuais! Adorei o post!

    ResponderExcluir
  8. Esse memorial a resistência deve ter uma energia forte. O que tu achou?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Mas não tão forte como um campo de concentração...

      Excluir
  9. Nossa Fernanda, eu não sabia desses lugares. Gostei muito do seu post e de saber um pouco da história dessas pessoas

    ResponderExcluir
  10. Muito interessante esse memorial, são coisas que precisam ser mostradas para conscientizar o mundo do que aconteceu.

    ResponderExcluir

Todos os comentários no "Tá indo para onde?" passam por moderação e por isso não aparecem de imediato. Ele só vai aparecer quando for respondido. Em geral, os comentários são respondidos quinzenalmente.