quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Intercâmbio de trabalho na Carolina do Sul - Estados Unidos

Em 2005, fiz meu terceiro intercâmbio (o primeiro de longa duração) em Hilton Head Island, Estados Unidos. Estou devendo os posts sobre ele e neste post aqui vou começar a contar tudo - entrei em contato recentemente com a agência deste intercâmbio para pedir informações atualizadas. Vou seguir mais ou menos um post que fiz sobre estudar espanhol na Espanha (meu quarto intercâmbio).

Harbour Town, Hilton Head Island, SC, Estados Unidos

Hilton Head Island no mapa dos Estados Unidos
A cidade que eu morei marcada em vermelho no mapa. Fonte



Por que queria fazer intercâmbio?


Quem leu o "sobre" aqui do blog sabe que sou formada em Turismo e durante a faculdade fui fazendo vários estágios, principalmente na área de eventos e agência de viagem. Estava faltando experiência em hotelaria e eu queria morar um tempo fora do país para ter uma experiência mais longa lá fora. Até pesquisei possíveis estágios na França, Espanha ou Itália, mas naquela época (2004), não tinha nenhum programa (ou pelo menos eu não achei no google naquela época) em nenhum desses países. Não queria muito ir para os Estados Unidos, mas foi o único programa legal de intercâmbio de trabalho que consegui informações então foi esse que acabei fazendo. Em 2004, também era muito mais difícil simplesmente ir, sem nenhum programa específico para qualquer lugar que seja. Eu queria também ter a segurança de outra pessoa indo atrás de moradia, estágio etc para mim.

Como escolhi a agência e o programa?


Fui direto nas 2 agências mais conhecidas aqui de Campinas, CI  e STB e descobri um programa da American Hospitality Academy (AHA) que se encaixava perfeitamente no que eu queria - duração, minha formação etc. Esse programa do AHA ainda é vendido pela STB - mais informações no site deles. É específico para estudantes de Turismo, Hotelaria e Gastronomia e pode durar até um ano.

logo American Hospitality Academy

A principal diferença deste com os intercâmbios de Work and Travel que vemos aos montes por aí é a duração. O Work and Travel acontece durante as férias principalmente e dura de 3 a 4 meses. O programa do AHA é mais longo (1 ano) e portanto além de aprender mais, você se diverte mais e fica fora mais tempo.


Pré Requisitos (informações fornecidas pela STB)


- Ter entre 18 e 30 anos;
- Nível de inglês avançado – equivalente ao TOEFL 500; entrevista por telefone com a organização e/ou empregador também pode ser necessária;
- Ser estudante de graduação (há pelo menos 2 anos), pós-graduação ou recém-formado nas áreas de Hotelaria, Turismo, Gastronomia ou Lazer/Entretenimento; ou combinar (no mínimo) um ano de faculdade e(no mínimo) um ano de experiência na área de estudo.

*Os candidatos interessados nas posições de Front Office deverão possuir experiência comprovada mínima de um ano na função.

Por que Estados Unidos?


Como já disse acima, era a única opção! Não precisava melhorar o inglês, mas com certeza pelo menos o vocabulário aumentou sim!

mapa dos Estados Unidos e estados
Hilton Head Island fica ali na Carolina do Sul, na direita (SC)

Como escolhi a cidade?


Naquela época, o AHA trabalhava somente em 3 lugares nos EUA: Orlando, Myrtle Beach e Hilton Head Island. Como Orlando é um destino muito fácil de visitar, deixei para outra oportunidade (e até hoje  não fui!! Abafa o caso!). Pesquisei sobre os outros 2 lugares: destinos de praia na costa leste, muito procurados por turistas americanos. Myrtle Beach um pouco maior que HHI, uma das praias que mais enche no famoso Spring Break americano.

Leia sobre Myrtle Beach no blog Sundaycooks.

Já HHI - abreviação para Hilton Head Island, era onde ficava a sede da AHA e isso influenciou a minha escolha. Além de ter ido mais com a cara de HHI na internet, o escritório estando ali do lado facilitaria caso acontecesse qualquer imprevisto. Hoje, é possível conseguir estágio em outras localidades nos Estados Unidos, principalmente na Flórida. Aliás, a maioria das vagas são mesmo espalhadas pela Flórida. No site, o endereço do AHA hoje consta como em Miami.

Harbour Town, Hilton Head Island, SC, Estados Unidos
Vista aérea de Harbour Town, a parte mais badalada de Hilton Head Island. Dá até pra ver o hotel onde eu trabalhava aí!

Como foi o processo para conseguir o estágio?


Depois de pesquisar muito online, fui até uma loja da STB aqui em Campinas e fiz um teste e entrevista em inglês. Nada assustador, foi bem fácil porque a entrevistadora sabia menos inglês do que eu. Depois de mandarem a minha documentação para os EUA, combinamos um telefonema e alguém do AHA me telefonou para fazer uma entrevista. Claro que fiquei nervosa fazendo uma entrevista de estágio em inglês por telefone, mas no fim tudo deu certo e fui aprovada.

Aí então o pessoal do AHA começou a mexer os pauzinhos lá em HHI para conseguir um estágio para mim. Eu tinha aplicado para uma posição na Recepção (veja mais abaixo), que eram as mais raras. No fim das contas, eles conseguiram com o The Sea Pine Resort, o resort mais reconhecido da ilha e uma das pessoas do RH do Sea Pines me ligou também para fazer outra entrevista (em inglês, por telefone). Tudo deu certo mais uma vez e aí foi só esperar a papelada chegar para tirar o meu visto. Não vou entrar em detalhes aqui sobre visto porque muita coisa pode ter mudado (e provavelmente mudou).

Às vezes, o procedimento pode ser esse - o AHA vai atrás de uma vaga, mas eles têm muitas vagas para oferecer o ano todo e já enviam para a STB (e outros parceiros pelo mundo) poderem mostrar e oferecer para os possíveis candidatos.

Qual o nível de inglês necessário?


Não lembro exatamente o nível de inglês que era pedido, mas este não é um programa para quem quer aprender inglês, muito pelo contrário - você já tem que falar pelo menos um inglês intermediário para fazer esse programa. Dependendo da área que você for trabalhar, também vai influenciar o nível de inglês necessário. Vejam com a agência sobre o nível de inglês necessário.

American Hospitality Academy (AHA)


O AHA (Academia Americama de Hospitalidade) trabalha baseado no tripé “Living, working and learning” e está há mais de 25 anos no mercado. Focam hoje em duas coisas: ensinar sobre hospitalidade e oferecer intercâmbios/estágios nos Estados Unidos na área de Hospitalidade. Segundo a Wikipedia, hospitalidade "constitui a estrutura e a rede de serviços que visa atender a demanda turística e a demanda de lazer e de eventos, especialmente nos segmentos de hospedagem e gastronomia. Os principais estabelecimentos que atendem a esta demanda seriam os hotéis, as pousadas, os restaurantes e os centros de convenções". Para quem não sabe, o abacaxi é o símbolo da hospitalidade (leia mas detalhes aqui em inglês).

Quem se interessar sobre o tema, recomendo que leia o artigo "A magia do atendimento - as 39 regras essenciais para garantir serviços excepcionais"!

abacaxi, símbolo da hospitalidade
Fonte

A presença forte do AHA era na Ásia (Filipinas por exemplo), África (Quênia principalmente) e outros países mais "exóticos" - Sérvia, Venezuela etc. Eles tem diversas parcerias com universidades nesses países que enviam alunos para fazer estágios obrigatórios nos Estados Unidos. Quando cheguei em HHI em fevereiro de 2005, eu era a única brasileira no programa deles, mas em maio chegou mais uma menina e algum tempo depois, uma amiga minha da faculdade foi fazer o programa em Myrtle Beach (e gostou muito também!).

O contato de quem estava em HHI com certeza era maior com o pessoal da coordenação do AHA e alguns até viravam nossos amigos, como os coordenadores da área de Recreação - Melissa, Etienne e Ron. Mesmo o pessoal do escritório, como a gente via sempre, acabava sendo mais um ponto de apoio: Katie, Atoya, Suzana, Cindi, Mimi (a Katie continua trabalhando no AHA e a Cindi que era a fundadora também!).

As vagas eram divididas em Front Desk (recepção - eram pouquíssimas vagas, nível de inglês avançado necessário - e hoje exigem também 1 ano de experiência na área), Recreation (recreação - menor nível de inglês necessário, horários mais "normais", precisa ter facilidade/vontade de lidar com crianças), Culinary (cozinha - horários malucos, não precisa de inglês tão bom, mas conhecimento na área é mais importante aqui do que nos outros casos) e Food and Beverage (alimentos e bebidas - para trabalhar principalmente como garçom/garçonete - horários malucos também, inglês intermediário, eram a maioria das vagas disponíveis, costumam ganhar boas gorjetas, mas salário é ruim). Tinham também vagas para Rooms Division (que seria Housekeeping - Governança), mas não vi ninguém nessa área durante o ano que passei lá. Olhando o site hoje, parece que estão focando mais no Culinary - que naquela época eram poucas vagas.

O AHA se preocupava muito com a interação dos intercambistas que estavam na mesma cidade. O pessoal espalhado pela Flórida acabava perdendo nesse aspecto. Mas quem estava em Myrtle Beach ou HHI tinha várias obrigações a mais, o que na verdade era bem legal! Cada país deveria fazer uma apresentação típica, com comida típica e isso chamava-se Cultural Spotlight. Todo mês tinha o Cultural Spotlight de algum país e a gente acertava os nossos horários no trabalho para não perder nenhum porque era muito legal. Fora isso, haviam vários eventos diversos ao longo do mês, por exemplo, festa para entrega de prêmios, festa da primavera, do outono, etc, excursões, mini golf, competição de basquete etc.

mesa enfeitada para a apresentação do Brasil
A mesa preparada para o Cultural Spotlight do Brasil!

Todo mundo também tinha que fazer algum trabalho voluntário (eu acabei fazendo um monte, desde ajudar a montar as barracas de festival até passar uma tarde no asilo da cidade, entre outros). 

Foodfest Hilton Head Island
Eu e uma das jamaicanas ajudando no Foodfest

Na última década, eles abriram cursos diversos na área de Hospitalidade pelo mundo (Índia, África do Sul, Filipinas e outros) e também um curso online de 2 anos com diploma em "Gerenciamento Internacional em Hospitalidade". Criaram o World Peace Passport (nos meus últimos meses por lá), uma iniciativa para promover mudanças no mundo através da educação e do turismo.

apresentando o World Peace Passport em uma escola
A Cindi (fundadora do AHA) em uma apresentação em uma escola sobre o então novíssimo World Peace Passport.

Escola/Aulas


O AHA oferece algumas horas de aula por semana (eram na 3a à noite ou na 4a de manhã - eu fiquei na turma de 4a feira) sobre hospitalidade. A gente tinha aulas teóricas, aulas práticas, trabalhos em grupos, dinâmicas de grupo, apresentações para preparar etc tudo no escritório mesmo do AHA, onde havia uma sala de aula. Para o pessoal de Orlando naquela época (e os que estão espalhados pelos Estados Unidos hoje em dia), as aulas são online. Para considerar que o estágio foi concluído, também tínhamos que entregar 6 grandes relatórios, variáveis de acordo com a área onde trabalhávamos. Com esse esquema atual, acredito que os eventos todos e trabalhos extras (que citei no item acima) não existam mais.

Acomodação


O AHA era responsável por isso e tinha vários apartamentos alugados no Hilton Head Resort, cada um com 2 quartos e 2 banheiros, para ser dividido entre 4 estagiários. Quando cheguei lá, dividia o quarto com uma coreana e o apartamento com mais 2 americanas. Logo em seguida, a coreana foi embora e no lugar dela chegou uma queniana. Depois as 2 americanas foram embora e chegaram 1 holandesa e outra americana. Essa holandesa mudou-se mais tarde para outro apartamento e a americana foi embora também e aí chegaram mais uma queniana e uma jamaicana. Ou seja, em 1 ano, dividi o apartamento com 8 meninas, de 5 nacionalidades!

O local foi construído como um resort no início dos anos 80, mas perto do ano 2000 estava bem decadente e transformaram então em apartamentos, onde moravam muitos imigrantes (e estagiários). Hoje em dia não sei se o AHA continua usando esse mesmo condomínio para os estagiários, porque hoje consigo encontrar vários apartamentos para aluguel de temporada na internet lá e antes isso não existia. No Booking, está com o nome de Unforgettable Paradise, mas as fotos são inconfundíveis!

O condomínio era formado por 4 prédios de 4 andares com cerca de 30 apartamentos por prédio, por andar! Sim, muitos apartamentos! Todos seguiam o esquema das fotos abaixo, quadrados, com a área comum no meio e em cada prédio havia uma coisa diferente: no prédio 1, era a piscina aberta, uma lojinha e uma lanchonete, no prédio 2 eu não lembro o que era, no prédio 3 (o meu), eram piscinas aquecidas e sauna e no prédio 4, quadras de tênis!

Hilton Head Resort, Hilton Head Island, Estados Unidos
Nenhum desses era o meu prédio (mais abaixo)

Hilton Head Resort, Hilton Head Island, Estados Unidos
Não reparem na bagunça! Esse era o meu apartamento, o 3209 - olha ali na sala a minha mala vermelha que não cabia no quarto! A lógica do número é 3o prédio, 2o andar, apto 09.

O apartamento não tinha área de serviço, mas haviam máquinas de lavar e secar espalhadas pelo condomínio e eram naquele esquema de colocar moeda para funcionar. Em compensação, incluía tv a cabo, móveis, eletrodomésticos necessários, telefone para ligar de graça para qualquer número dos Estados Unidos e usar a internet discada (!!! - eu nem levei computador e celular naquela época eram os mais simples, nada de smartphone). A gente podia simplesmente ligar para o escritório do AHA que eles cuidavam de problemas no apartamento, ou ligar direto para o "faz-tudo" porto-riquenho e ele ia lá consertar (como em uma semana que eu e minhas roommates conseguimos entupir o ralo do banheiro, quebrar a porta da lava-louça e um raio queimou o microondas - tudo ao mesmo tempo!).

Hilton Head Resort, Hilton Head Island, Estados Unidos
O quarto menor que foi o que dormi nos primeiros meses - depois mudei para o maior. Estava vazio assim quando tirei fotos porque alguém deveria ter acabado de sair e na semana seguinte sempre chegava mais intercambistas.

Hilton Head Resort, Hilton Head Island, Estados Unidos
Os banheiros (faltou a banheira de um deles). A sala de jantar/cozinha e a sala acima são de outro apartamento de amigas minhas (se não me engano o apartamento delas era o 4327)

Hilton Head Resort, Hilton Head Island, Estados Unidos
Esse era o quarto maior e a minha bagunça toda no meu último dia lá, tentando fazer tudo caber na mala! Ocupei até a cama da roommate tentando organizar rs. Essa piscina era a do meu prédio!

Os únicos lugares que davam para ir a pé do condomínio eram o Shelter Cove Towne Centre (era um shopping fraquíssimo, foi remodelado e pela lista de lojas está muito mais voltado para serviços do que para lojas), o The Plaza at Shelter Cove (espécie de mini mall, tinha um supermercado Piggly Wiggly que falei aqui, mas hoje é um Whole Foods e algumas poucas lojas - TJ Maxx era a melhor) e a praia, que era ligada ao condomínio por uma passarela - abaixo (existe uma área de preservação ambiental entre a praia e os prédios). No vídeo, podemos ver a passarela, o barzinho na beira da praia e a praia.



Muitos estagiários compravam alguns acessórios/aparelhos e quando iam embora deixavam para os amigos e foi assim que herdamos cabides, varal de armar, aparelho de som, telefone sem fio, tv extra, etc. Cada um tinha que providenciar travesseiro, cobertor, lençóis e toalha próprias (levei algumas dessas coisas do Brasil e comprei também na primeira semana).

Com aquele monte de jovem morando junto, o AHA fazia uma inspeção mensal para averiguar a limpeza e organização do apartamento e o mais limpo ganhava uma noite de pizza e esse era o incentivo para o pessoal não destruir o apartamento rs. Meu apartamento ganhou uma vez só :(.

Imagino que com a maioria dos estágios deixando de ser em Myrtle Beach e Hilton Head Island e passando a ser mais espalhado pelo país, eles não estejam mais focando na ajuda com os apartamentos (e ficou um pouco mais complicado apara os estagiários que tem que ver isso sozinhos). Mas nas informações sobre 2 hotéis que a atendente da STB me passou recentemente (para eu ter uma ideia atualizada e escrever este post), o empregador oferecia apartamentos a um preço baixo em uma distância caminhável do local de trabalho, o que também resolve um pouco do item abaixo.

Transporte


O transporte é de responsabilidade do intercambista hoje. Na minha época, o AHA tinha um esquema com uma empresa de shuttle em HHI porque na ilha não tem transporte público!!! Absurdo isso, eu sei! A cidade não é tão pequena assim para ir andando para qualquer lugar... Existem muitas ciclovias na ilha e algumas pessoas compravam carros usados baratos, mas eu nem quis me preocupar com isso (e com a carteira de motorista americana rs). O AHA providenciava transporte para o trabalho e também para as aulas de 3a e 4a. Além disso, a van também estava disponível 2x por semana para fazer compras no Walmart mais perto e eventualmente para os eventos organizados pelo AHA, que eram muitos (como contei acima)!

Alimentação


Esse item era bem variável de pessoa para pessoa. O pessoal que era garçom ou trabalhava na cozinha costumava comer no trabalho, mas mesmo eu que trabalhava na recepção, vira e mexe conseguia comer ou alguma coisa do café da manhã do hotel. Eu fazia a maioria das refeições em casa e sobrevivi um ano sem saber cozinhar, como contei nesse post aí do blog! Claro que experimentei vários restaurantes da ilha e vou escrever sobre isso em outro post! Mas a alimentação não era responsabilidade nem do AHA e nem do empregador.

Comidas congeladas nos supermercados nos Estados Unidos
Essas e as próximas são só algumas opções de comidas congeladas que eu comida direto nos Estados Unidos

Comidas congeladas nos supermercados nos Estados Unidos

Comidas congeladas nos supermercados nos Estados Unidos

Comidas congeladas nos supermercados nos Estados Unidos
Esse mini muffin era muito amor!!! Saudades!


Saúde


Claro que você vai precisar de um seguro saúde. Você pode contratar com a agência do intercâmbio ou comprar online aqui no mesmo! Conforme já expliquei neste post, se você comprar pelo banner abaixo, não paga nada a mais e ajuda o blog a se manter e trazer cada vez mais informações úteis e relevantes sobre intercâmbios e viagens em geral!




Salário


Naquela época, os empregadores pagavam para o AHA e a gente recebia U$300,00 por mês, mas só tínhamos que pagar alimentação, então dava e sobrava muuuito! Sabem aquele intercâmbio na Espanha que citei lá em cima? Paguei com o dinheiro que ganhei no Estados Unidos e sobrou! O dinheiro que eles recolhiam eram para os apartamentos, as aulas, transporte, etc e o lucro deles, é claro! Quem trabalhava diretamente com o público recebia um extra com gorjetas e era possível em alguns casos fazer hora extra ganhando à parte.

Hoje o esquema é diferente: o pessoal recebe por hora trabalhada, como qualquer outra pessoa nos Estados Unidos. Mas aí é preciso controlar muito melhor os seus gastos, inclusive com moradia, transporte etc. A hora trabalhada varia dependendo do estado e da função, mas gira em algo perto de U$8,00. Leia aqui sobre o  salário mínimo americano (em inglês).

The Sea Pines Resort


Não tenho nem palavras para falar o quanto amei trabalhar no The Sea Pines Resort e no The Inn at Harbour Town, um hotel boutique dentro do resort! Em breve, um post exclusivo sobre o melhor lugar para se hospedar em Hilton Head Island!

The Inn at Harbour Town, The Sea Pines Resort, Hilton Head Island, SC

Eu trabalhando na recepção do The Inn at Harbour Town, dentro do Sea Pines Resort. Depois trabalhei alguns meses também no Welcome Center do Sea Pines (abaixo)

The Sea Pines Resort Welcome Center, Hilton Head Island, SC


Tempo livre


Trabalhando na recepção, meus horários eram uma confusão e mudavam toda semana! Vou fazer um post sobre isso também, mas já adianto que as folgas eram descoordenadas e não conseguia viajar nada. Para piorar a situação, Hilton Head é péssima quanto a transporte público, na cidade e ligando a cidade a outras cidades, então tudo era mais complicado.

Acabou que eu fazia muitos bate-voltas, por exemplo a CharlestonBeaufort ou Savannah e na maioria dos dias livres, ficava pela ilha mesmo. HHI é uma cidade essencialmente turística então a grande maioria dos habitantes trabalham com turismo e também acabam fazendo os horários malucos de hotéis, restaurantes, clubes etc. A qualquer dia da semana, a qualquer hora, você achava alguém que também estivesse de folga e pudesse ir com você fazer compras, à praia, cinema, qualquer coisa!

Old City Market/Market Hall, Charleston, SC, EUA

Beaufort, SC, EUA
Adoro essa arquitetura antebellum e a árvore spanish moss - 2 símbolos dessa região dos Estados Unidos!
Ufa, acho que é isso. Se tiverem alguma dúvida, é só deixar nos comentários! Ainda vou escrever mais sobre Hilton Head depois! Este post não é um publieditorial - eu não recebo/recebi nenhum centavo para falar da agência STB nem do AHA, mas não posso negar que foi uma experiência que adorei e que me marcou muito!

Vejam todos os posts aqui no blog sobre intercâmbio!


10 comentários:

  1. Nossa Fernanda, 2005. O tempo passa hein. Parabéns pelas suas conquistas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E como passa!! Mas por um lado, tudo isso parece que foi em uma vida passada e por outro lado, parece que foi semana passada! Lembro muito ainda de muitas coisas!

      Excluir
  2. Ah, adorei saber como foi esse seu intercambio! Fiz um em 2010, em Savannah, mas tive problemas para tirar o Social Security Number por conta do meu nome composto (é sério) e acabei ficando só um mês por lá :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que chato isso, nunca tinha ouvido falar... Eu fiquei 1 ano lá e nem tirei o Social Security Number! rs Não podia ter conta em banco e mais algumas coisas, mas achei que a papelada e o trabalho não valiam o esforço pra ficar pouco tempo. Pelo mesmo motivo, tb não fui atrás de carta de motorista. Mas vc andou um pouco por Savannah, né? A cidade é LINDA DEMAIS!!!

      Excluir
  3. Adorei o post!!!! Me lembrou o meu intercambio da Disney, várias coisas eram parecidas... e eu tambem comia os congelados da Banquet e da Great Value!!! Deu vontade de voltar pra época da faculdade pra poder fazer mais uns 3 ou 4 intercambios!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha tb acho que quanto mais intercâmbio melhor!!! E tem vários que não precisa estar estudando não!

      Excluir
  4. Fer, que máximo a sua foto na recepção!!! Hahahaha Amei!!! Eu nunca fiz um intercâmbio e até hoje não entendo o porquê. Deve ser muito legal e trazer uma experiência de vida incrível! Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hehehe Eu dei muuita sorte porque normalmente o pessoal não tem mesinha com cadeira para sentar em recepção, mas como esse era hotel boutique, tinha! Já te falei Dê, tem várias opções pra intercâmbio pra qq idade, até idosos, ou seja, todo mundo está sempre em tempo de fazer um!!! hahaha acho que no seu caso, o melhor é mesmo fazer intercâmbio pra estudar alguma língua. Bjs!

      Excluir
  5. Super experiência,Fer! Aliás... mais uma para o seu extenso currículo em intercâmbios!

    ResponderExcluir