terça-feira, 15 de setembro de 2015

7 vinícolas imperdíveis nos arredores da Cidade do Cabo (e dicas de alguns restaurantes dentro de vinícolas!)

Continuando os relatos sobre a África do Sul, que estão quase no final!


Em 2014, estive na África do Sul e na verdade me infiltrei no grupo dos meus pais, que foram lá para visitar diversas vinícolas e degustar vinhos. Visitei algumas vinícolas com eles, por exemplo a vinícola mais antiga da África do Sul - a Groot Constantia, que já contei aqui no blog, mas enquanto eu desbravava a Cidade do Cabo sozinha (aproveitei para fazer dezenas de posts sobre a cidade - que já estão no blog), eles visitaram mais um montão de vinícolas na região, que vou contar no post de hoje! Na verdade, eu visitei também a Nederburg (mais abaixo), no dia que saímos da Cidade do Cabo em direção à Rota 62.

Marquei a Cidade do Cabo como a estrela roxa e as outras cidades menores na redondezas com os pontos roxos. As vinícolas deste post estão representadas pelas taças (inclusive a Groot Constantia que não está neste post) e foram visitadas em vários dias e os restaurantes com o garfo e a faca!



Várias vinícolas pertinho da Cidade do Cabo que vale a pena conhecer!


Para viajar tranquilo, garanta já o seu seguro viagem com a parceira do blogSeguros Promo - comparador de preços com as melhores seguradoras do mercado! Você não gasta nenhum centavo a mais por isso e colabora para manter o blog!




Meerlust (Stellenbosch)


O Meerlust Estate está na família Myburgh por 8 gerações, desde 1693 e a casa é de 1726. O solo é pobre e por isso, plantam as videiras bem separadas, que normalmente não duram mais do que 30 anos. Fazem um único vinho de uva branca (Chardonnay), inspirado nos vinhos da Borgonha, desde 1995. As uvas Pinot Noir são plantadas entre 50m e 100m de altitude viradas para o sul e o vinhedo recebe os ventos frios da False Bay. Devido ao clima, o Merlot é bastante herbáceo.

Degustação de vinho na vinícola Meerlust (Stellenbosch), África do Sul

Degustação de vinho na vinícola Meerlust (Stellenbosch), África do Sul

Degustação de vinho na vinícola Meerlust (Stellenbosch), África do Sul

Um destaque da vinícola é o vinho Rubicón, blend de diversas uvas (70% Cabernet Sauvignon, 20% Merlot, 9% Carbenet Franc e 1% Petit Verdot), que deveria ser consumido entre 10 e 15 anos após a produção. O tempo de guarda é de até 25 anos.  O blend "Red" é o segundo vinho, produzido quando eles não fazem o Rubicon (53% Merlot, 32% Carbenet Sauvignon, 10% Cabernet Franc e 5% Petit Verdot).

Nesse dia, o almoço foi no restaurante da vinícola Delheim.

Almoço na vinícola Delheim (Stellenbosch, África do Sul)

Almoço na vinícola Delheim (Stellenbosch, África do Sul)

Tokara (Stellenbosch)


O vinho top da vinícola é o Sauvignon Blanc (foi degustado o de 2012), que na verdade é composto de 74% de uva Sauvignon Blanc e 26% Semillion. O vinho Shiraz Reserva é recomendado para acompanhar cordeiro.

Degustação de vinho na vinícola Tokara (Stellenbosch), África do Sul
Adorei essa decoração bem louca!!!

Degustação de vinho na vinícola Tokara (Stellenbosch), África do Sul

Kanonkop (Stellenbosch)


O vinho Kadette 2012 Pinotage é um ótimo vinho pela faixa de preço. Os vinhos superiores dessa vinícola são feitos para durar cerca de 20 anos. O Cabernet Sauvignon deles foi considerado o melhor vinho da África do Sul e 2003 e 2009 foram safras ótimas. Já ganharam muitos prêmios como o melhor Blend (vinho com mistura de uvas) do mundo. O Pinotage Black Label foi feito com uvas dos vinhedos originais de 1953 e tem sido considerado o melhor Pinotage da África do Sul.

Degustação de vinho na vinícola Kanonkop (em Stellenbosch), África do Sul

Degustação de vinho na vinícola Kanonkop (em Stellenbosch), África do Sul


Chamonix (Franschoek))


Antes da degustação, almoço no restaurante da vinícola, o Racine. A Chamonix também é produtora de água mineral. É possível se hospedar na vinícola. Produzem brancos (inclusive alguns que não passam por barril de carvalho), tintos e espumantes. Destaque para o solo de greywacke (ou grauvaque em português), que transmite características únicas para os vinhos.

Degustação na vinícola Chamonix e almoço no Racine (Franschoek - África do Sul)

À noite, o jantar foi no famoso restaurante Haute Cabrière, mais sofisticado e que também está dentro de uma vinícola. Desculpem as fotos escuras e ninguém lembrou de anotar o cardápio!

Jantar no Haute Cabrière, Franschoek - África do Sul

Jantar no Haute Cabrière, Franschoek - África do Sul

Jantar no Haute Cabrière, Franschoek - África do Sul

Nederburg (Paarl)


Alguns dos vinhos tops desta vinícola são os da linha "Ingenuity" e "Top Winemasters". Os da linha "Manor House" são os mais simples.

Degustação de vinho e almoço na vinícola Nederburg (em Paarl), África do Sul

Degustação de vinho e almoço na vinícola Nederburg (em Paarl), África do Sul

Degustação de vinho e almoço na vinícola Nederburg (em Paarl), África do Sul

Degustação de vinho e almoço na vinícola Nederburg (em Paarl), África do Sul

Degustação de vinho e almoço na vinícola Nederburg (em Paarl), África do Sul
Um pequeno museu sobre a vinícola - achei as antigas garrafas e rótulos bem interessantes

Degustação de vinho e almoço na vinícola Nederburg (em Paarl), África do Sul
Observando a produção

Degustação de vinho e almoço na vinícola Nederburg (em Paarl), África do Sul

Degustação de vinho e almoço na vinícola Nederburg (em Paarl), África do Sul
lugar lindo!!!

À esquerda, o restaurante. No meio e à direita, explicação sobre alguns dos vinhos de edição limitada produzidos ali, que homenagearam alguns personagens importantes da vinícola - The Young Airhawk, The Anchorman, The Lady, The Brew Master e The Motorcycle Marvel. Destes 5, o Anchorman foi o destaque.

Degustação de vinho e almoço na vinícola Nederburg (em Paarl), África do Sul
Almoço especial para harmonizar com alguns dos vinhos de produção limitada citados acima. Esse molho de manteiga estava divino com a carne e a batata!


Hamilton Russel (Hermanus)


As primeiras videiras de Pinot Noir foram plantadas em 1976 e o primero vinho vintage foi produzido aqui em 1981. Um dos destaques da degustação nessa vinícola foi o vinho "Southern Right". O solo da vinícola tem argila, que intensifica o aroma de frutas tropicais. O "Pinotage 2012" foi considerado o 2o Pinotage da África do Sul, com 91 pontos na escala Parker. A argila do solo deu um caráter de vinhos do Rhone. Já o Chardonnay 2012, foi considerado o vinho do ano na África do Sul e ficou em 19o lugar no Top 100 da Wine Spectator. O Pinot Noir 2010 e o 2012 também foram muito bem classificados nos 2 avaliadores citados acima. Não precisa nem dizer que essa vinícola é top!!! Em 2013, foi eleita a vinícola do ano da África do Sul - simplesmente imperdível para os enófilos!!!

Degustação de vinho na vinícola Hamilton Russel (em Hermanus), África do Sul
O caminho já é lindo!

Degustação de vinho na vinícola Hamilton Russel (em Hermanus), África do Sul

Neste dia, o almoço foi em um restaurante simples, o The Angler´s Arms, que não achei nenhuma informação na internet!

Paul Cluver (Elgin Valley)


Desde o final da década de 1980, foram os primeiros a terem vinhedos no vale do Elgin. O primeiro vinho foi produzido em 1997. O Riesling 2013 é bem fresco e muito bom. A acidez do Chardonay 2012 é muito boa e é um vinho longevo. O Riesling botritizado é bastante doce (150g/l de açúcar) e foi um vinho muito bom. O vinho "Seven Flags" - Pinot Noir 2010 foi muito premiado.

Degustação de vinho na vinícola Paul Cluver (Elgin Valley), África do Sul

Degustação de vinho na vinícola Paul Cluver (Elgin Valley), África do Sul


Leia mais sobre as vinícolas da região nos blogs Pé na EstradaIn Vino ViajasViagem Cult, Mari Campos (post 1 e post 2) e O Descobrimento da América (post 1post 2 e post 3.








Você já curte nossa fanpage no Facebook, já segue o nosso Twitter e o nosso Instagram e o Pinterest?

12 comentários:

  1. Engraçado que essa região é cheia de vinícolas, mas o brasileiro tende a pensar mais na Argentina, Chile e Europa quando se fala no assunto, é?
    Não sou do álcool, mas um vinhozinho sempre é uma boa pedida :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É que África em geral é bem menos divulgada por aqui, né? Uma pena... Mas no mundo do vinho, África do Sul faz muuito sucesso!

      Excluir
  2. Já provei um vinho da Kanonkop muito tempo atrás e realmente é muito bom

    ResponderExcluir
  3. Fer, que post incrível!
    Os vinhos da África do Sul são bem bons, ótimo saber que dá para visitar as vinícolas!

    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Sempre babo nas fotos de vinícola. Um lugar mais bonito que o outro, não? Impressionante!

    ResponderExcluir
  5. Eis um passeio que eu sempre curto muito fazer. E as suas fotos da África do Sul sempre me impressionam pelo céu azul lindo. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dica: fui em fevereiro/março - final do verão por lá!

      Excluir
  6. Eu ADORO os vinhos da África do Sul. Pelo menos até hoje não provei nenhum mais ou menos, todos eram excelentes. E Fernandaaaa que vontade de pular naquele monte de Uvas. kkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahaha não tinha pensado nisso! Mas seria divertido!

      Excluir